Vôlei de praia

Com apoio da Seel, paraenses disputam circuito de vôlei de praia em Pernambuco

O evento começa com o Qualifying – que é o classificatório para o torneio principal – no qual a dupla paraense não disputa por já estar habilitada para a próxima fase de grupos e repescagem, que ocorre no sábado (8), e no domingo tem mais dois jogos de semifinais e finais.

Vai ter Pará na 1ª Etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Challenger 2019, evento que reúne as 16 melhores duplas do Brasil e que inicia nesta quinta-feira (6) e segue até domingo (9), em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, realizada pela Confederação Brasileira de Vôlei.

Com o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), as paraenses Rafaela Fares e Jessica Santiago participam da competição com o objetivo de ficar entre as três primeiras colocadas no final das quatro etapas, o que assegura pleitear a bolsa-talento nacional.

O evento começa com o Qualifying – que é o classificatório para o torneio principal – no qual a dupla paraense não disputa por já estar habilitada para a próxima fase de grupos e repescagem, que ocorre no sábado (8), e no domingo tem mais dois jogos de semifinais e finais. "Queremos chegar às semifinais. É muito difícil no Brasil ser um atleta profissional de alto rendimento, e no nosso Estado as coisas complicam um pouco mais pela logística que enfrentamos", afirma Rafaela.

A atleta, de 29 anos, começou a jogar vôlei aos 11, através do técnico Jânio Marinho. Integrou as seleções paraenses infanto e juvenil, sendo ainda convocada em testes para seleção brasileira. Na fase adulta, migrou para o vôlei de praia.

"Participei de campeonatos sul-americanos pela seleção, onde consegui o 3º lugar. Estou jogando com a Jessica há nove meses e tivemos uma temporada bem proveitosa. Saímos de uma colocação de 24° lugar no ranking e hoje somos 10° do Brasil. Com esta subida, conseguimos nos classificar para o SuperPraia, em agosto, em Brasília, campeonato que reúne as 16 melhores duplas do país. Em maio, participamos de um sul-americano em Camaçari, na Bahia, e ficamos com a quinta colocação", conta a jogadora.

Já Jessica Santiago, 23, joga vôlei de praia desde os 17 anos e afirma estar muito confiante para a competição em Pernambuco. "Vamos iniciar a temporada no Challenger, com excelente expectativa para nós. A ajuda do governo, por meio da Seel, é de suma importância, pois precisamos custear nossa passagem e hospedagem, para participar da competição, que é nacional e de grande visibilidade. É muito difícil conseguir patrocínio e a secretaria está abrindo as portas pra gente", disse Jéssica.

Apoio - Desde o início do ano, mais de 300 atletas já foram atendidos pela Seel, inclusive com apoio para participação em eventos internacionais, como o Campeonato Mundial de Muay Thai Tradicional, realizado em Bangkok, Tailândia; o Sulamericano de Manbol, no Equador e Chile; o Campeonato Sulamericano de Remo, em Assunção, no Paraguai, e outros.

"Nosso papel é apoiar os atletas, nesse caso do vôlei feminino, os que estão indo participar de competições fora do Estado e com isso, levando o Pará para todo o país. O objetivo é mostrar o valor do nosso esporte e, sobretudo, os nossos talentosos atletas", enfatizou o secretário-adjunto da Pasta, Vitor Borges.

Tags

Esporte Vôlei Vôlei de Praia

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder