REUNIÃO

Grupo de trabalho apresenta alternativas para a destinação do lixo da Região Metropolitana

O grupo de trabalho é formado por representantes de vários órgaos.

O destino do lixo da Região Metropolitana teve mais uma rodada de discussões na tarde desta segunda-feira, 10, durante reunião do grupo de trabalho sobre a destinação dos resíduos dos municípios de Belém, Ananindeua e Marituba. Participaram do encontro, representantes das três prefeituras, governo do Estado, Ministério Público e Procuradoria Geral do Município de Belém.  A reunião, que foi realizada no gabinete do prefeito, na avenida Nazaré, é uma iniciativa da Prefeitura de Belém com o objetivo de buscar soluções para o problema do descarte do lixo na RMB.

No encontro, foram apresentadas alternativas imediatas para a situação do lixo, entre elas uma possível prorrogação do prazo de funcionamento do aterro para além dos quatro meses determinados pela justiça. “Sabemos que quatro meses é um tempo muito curto para que se chegue a uma solução de forma imediata, daí a importância em buscar um tempo maior para a situação. Com um tempo mais amplo seria possível buscar uma ação mais efetiva”, explicou o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho. “Trata-se de uma situação muito complexa. Se esse prazo de quatro meses fosse prorrogado teríamos mais tempo para encontrar uma solução imediata e, posteriormente, uma solução final. Todas as propostas colocadas na discussão são bem vindas no sentido de encontrarmos alternativas para a solução do problema”, completou o prefeito.

A integração entre os três municípios da região metropolitana também foi destacada pelo gestor de Belém. “Os municípios envolvidos têm direito de buscarem soluções de forma individual, mas penso que a solução nesta situação é metropolitana. É um problema que envolve os três municípios. Precisamos nos unir na busca por uma solução que beneficie os três, como na criação de um consórcio metropolitano. Mas estamos bastante otimistas com as discussões e contribuições trazidas pelo grupo de  trabalho e continuamos em busca de alternativas”, ressaltou Zenaldo.

A promotora Marcela Melo, do MP de Marituba, destacou a necessidade da expansão da célula 2B, já autorizada para funcionamento pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), no ano passado. “Já foi autorizado pela Semas que a empresa faça a expansão de outra célula, pois foi constatado que existe espaço para a ampliação. É importante informar que o alteamento do projeto é previsto para toda a área e não somente para a única célula em questão”, afirmou.

“Por mais que se chegue a uma solução paliativa neste momento, precisamos também de uma solução final, daí a importância desse grupo de trabalho continuar discutindo o assunto.  Precisamos de uma alternativa para apresentar antes do fim do prazo de 4 meses, mas temos também que pensar em uma solução final”, comentou o representante de Marituba, Esmaily Bastos. A próxima reunião está marcada para segunda-feira, 17.

Agência Belém - Você ficou com alguma dúvida ou tem sugestões para enviar à Agência Belém? Entre em contato conosco pelo nosso canal de divulgação das principais ações do município pelo número (91) 98027-0629. Aguardamos sua mensagem.

Tags

sesan

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.