REFORÇO AOS DIREITOS

Prefeitura de Belém integra programação alusiva ao Dia do Enfrentamento ao Trabalho Infantil

Servidores da Prefeitura de Belém fizeram trabalho intensivo em oito pontos de blitzen conscientizando sobre trabalho infantil

Em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil celebrado anualmente em 12 de junho, a Prefeitura de Belém participou de uma extensa programação na manhã desta quarta-feira, promovida em parceria com o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT), Ministério Público do Trabalho (MPT) e diversos outros órgão públicos e privados.

Com o slogan “Não ao Trabalho Infantil”, a programação buscou conscientizar a população sobre os prejuízos da exploração do trabalho infantil. Dados do Programa Nacional de Combate ao Trabalho Infantil apontam que atualmente, no Brasil, 2,5 milhões de crianças e adolescentes são exploradas nesse sentido, explica a desembargadora Zuíla Dutra, coordenadora nacional do programa.

“No Pará há mais de 168 mil crianças e adolescentes lutando para sobreviver numa fase da vida em que deveriam brincar e estudar. Nós precisamos abrir os olhos para essa realidade e sentir que é necessário que a sociedade dê as mãos em prol dessa luta, em favor da vida plena”, aponta a desembargadora Zuíla.

Blitz - A Fundação Papa João XXIII (Funpapa) realizou em oito pontos da capital e no distrito de Icoaraci, durante toda a manhã de quarta-feira, várias blitze educativas. Foram distribuídos panfletos contendo informações sobre os males causados pela exploração do trabalho infantil.

Em um dos principais pontos, na esquina das avenidas Duque de Caxias e Doutor Freitas, equipes do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e Centro de Referência de Assistência Social (Cras) alertaram motoristas, pedestres e passageiros de ônibus. Agentes educadores da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SeMOB) auxiliaram na abordagem dentro dos coletivos.

Outros pontos que contaram com a participação de educadores da Funpapa e SeMOB foram a esquina da avenida Nazaré com travessa Quintino Bocaiúva, em frente a um colégio localizado na avenida Augusto Montenegro, entre outros locais. 

O bancário Giovani Nogueira, que passava por um dos pontos de panfletagem, elogiou a iniciativa. “Não tinha conhecimento desse dia, fiquei sabendo por meio desse panfleto. Acho importante esse trabalho, pois precisamos colocar as crianças nas escolas”, comentou Giovani.

Segundo a presidente da Funpapa, Adriana Azevedo, é necessário fazer esse trabalho de conscientização com a população. “É preciso falar sobre trabalho infantil. A criança tem direito à saúde, educação e diversão. Essa causa é de todos nós e a blitz educativa pode iniciar essa conscientização”.

Adriana lembra, ainda, que a Prefeitura de Belém vem combatendo e enfrentando essa exploração no dia a dia. “Temos várias equipes de abordagem de rua nos Creas, fazendo abordagem em feiras e sinais. Trabalhamos com as famílias a conscientização, porque a criança precisa estudar e brincar, sendo isso um direito dela. Trabalhamos, também, com o programa de proteção e atendimento especializado a famílias e indivíduos”, destacou.    

Para a juíza Vanilza Malcher, coordenadora regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil, fortalecer parcerias com instituições públicas e privadas é muito importante para enfrentar esse problema. “Estamos tentando conscientizar a sociedade para que ela não sofra os efeitos do trabalho infantil”, comentou a juíza.

Educação - A Secretaria de Educação (Semec) está há duas semanas com atividades nas escolas da educação infantil e ensino fundamental, reforçando o direito das crianças junto aos estudantes e às famílias. Em seis anos, a Prefeitura de Belém criou cerca de 7 mil vagas de tempo integral nas escolas do município como forma de combater o trabalho infantil.

“A criança precisa brincar e estudar para que tenha uma infância saudável. A educação tem um papel primordial nesse processo, principalmente, a educação em tempo integral como vem pontuando a atual gestão da Prefeitura de Belém, que tem apostado nisto, como um princípio fundamental para uma infância mais feliz”, apontou a coordenadora da Educação Infantil Maria Célia Penha.

A Unidade de Educação Infantil Wilson Bahia, que atende crianças de 0 a 3 anos, fez uma programação especial com alunos e familiares. Para o Sérgio Ribeiro, pai de uma estudante dessa escola, os pais têm que ficar sempre atentos às crianças. “Nós, pais, temos que ter muito cuidado com as crianças. Fico muito feliz quando minha filha pede para vir para a escola, porque procuramos fazer o melhor para ela”, comentou.

Até o final da semana, as escolas da rede municipal estarão com várias atividades como oficinas de cata-vento, cordel de direitos, estação da leitura de histórias infantis e galeria dos direitos naturais das crianças, todas destinadas à comunidade escolar.

Anjos da Guarda - A Guarda Municipal de Belém também está integrada ao combate ao trabalho infantil, e promove o projeto social Anjos da Guarda, voltado para o desenvolvimento da criança e adolescente, dos 7 aos 16 anos.

As ações são feitas por meio de atividades pedagógicas, esportiva, musicalização e de sociabilização, visando a integração das crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. O projeto atende, também, crianças que trabalhavam com vendas em sinais de trânsito. O trabalho também é feito com os pais e crianças, por meio de peças teatrais e outras atividades.

Agência Belém - Você ficou com alguma dúvida ou tem sugestões para enviar à Agência Belém? Entre em contato conosco pelo nosso canal de divulgação das principais ações do município pelo número (91) 98027-0629. Aguardamos sua mensagem.

Tags

funpapa guarda municipal semec semob

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.