Em boa forma

Cuidados especiais com alimentação melhoram a performance dos lutadores

Para cada momento, a comida certa, na rotina de quem treina ou participa de competições no segmento cada vez maior das artes marciais. Saiba o que comer antes, durante e depois.

As mudanças no estilo de vida das pessoas, agora mais preocupadas com a saúde do corpo, e o crescimento da violência nas grandes cidades têm levado ao aumento da procura por academias de artes marciais. A própria popularização do MMA, que começou a nascer aqui mesmo em Belém do Pará, também estimula jovens a praticar essa modalidade de luta. Mas uma coisa é certa: se quer entrar na onda, trate muito bem de sua alimentação.

Seja para os treinos amadores ou para enfrentar uma competição, cada etapa da preparação de um praticante de lutas tem um cuidado próprio para mehorar a performance nos ringues, octódromos ou tatames. O alimento certo influencia no desempenho do atleta, ajuda a criar depósitos de energia, a reduzir o cansaço e diminuir o tempo de recuperação em caso de lesões, além, é claro, de contribuir para a manutenção da saúde geral dos adeptos.

Três horas antes do treino recomenda-se uma grande refeição, seja almoço ou jantar. Também pode ser feita uma refeição menor pelo menos uma hora antes. Em ambos os casos, a refeição deve ser rica em carboidratos, moderada moderada em proteínas e fibras e baixa em gorduras. Uma base ideal pode conter: arroz integral, batata, inhame, mandioca, macarrão, frutas, cereais integrais, pão integral, queijo branco, carnes magras e verduras e legumes.

Há também uma preocupação especial para o próprio período dos treinos. Durante a atividade, é bom cuidar da hidratação, mantendo a ingestão de líquidos. Se essa atividade passar de uma hora, essa hidratação pode der complementada por bebidas isotônicas que contenham carboidratos e eletrólitos (sódio e potássio).

O maior cuidado após o treino é repor nutrientes, com ingestão de carboidratos encontrados em pães brancos, macarrão, batata inglesa e banana. Para a recuperação da musculatura, nada melhor do que o consumo de proteínas de alto valor biológico, tais como carnes magras, ovos e leite, tão logo se encerra o exercício, que e quando os nutrientes serão melhor absorvidos.

Além disso, mantenha na sua alimentação coitidiana alimentos ricos em antioxidantes como: ômega 3, ômega 6, vitamina C, vitamina E, selênio e beta carotenos, nutrientes encontrados nas frutas, legumes, verduras, castanhas, nozes e amêndoas.
E como regra geral, não esqueça: nunca treine de barriga vazia!

Tags

Nutrição Saúde

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder