FILMES PREMIADOS

Mostra Grande Prêmio do Cinema Brasileiro começa nesta quarta-feira, 24, no Olympia

Depois de um recesso, no período de 9 a 23 de julho, o Cinema Olympia, localizado na praça da República, está de volta à programação diária, nesta quarta-feira, 24, quando começa a exibir uma ótima opção de mostra de filmes, no encerramento das férias escolares em Belém.

A mostra tem a exibição de filmes nacionais e internacionais que são finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, promovido pela Academia Brasileira de Cinema. As exibições começam nesta quarta-feira, às 18h30, e seguem até 14 de agosto, sempre com entrada franca.

A exibição da mostra Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é uma oportunidade para os cinéfilos belemenses terem conhecimento dos filmes finalistas e assim votar nos seus favoritos nas categorias Longa Metragem de Ficção, Longa Metragem Documentário, Longa Metragem Estrangeiro e Longa-Metragem Ibero-Americano, pela internet, acessando o link http://academiabrasileiradecinema.com.br/

Cinema Brasileiro - Os filmes finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, premiação anual promovida pela Academia Brasileira de Cinema, vão ser exibidos entre os dias 24 de julho e 14 de agosto. A lista de finalistas contempla produções que foram lançadas no Brasil, de 1° de janeiro a 31 de dezembro de 2018.

A programação começa na quarta-feira, dia 24, às 18h30, com o filme “The Square - A Arte da Discórdia”, do diretor Ruben Östlund. Um renomado curador de arte tenta desesperadamente atrair visitantes ao museu que dirige em Estocolmo. Quando o celular dele é roubado, ele perde o controle da sua vida, afetando a todos ao seu redor e provocando consequências inesperadas. A classificação indicativa é de 14 anos.

Na quinta-feira, 25, às 18h30, o filme é “Me Chame Pelo seu Nome”, do diretor Luca Guadagnino. Baseado no romance de André Aciman, a história se passa no verão de 1983, no norte da Itália, quando Elio Perlman, de 17 anos, começa um romance com um amigo de trabalho do seu pai. A classificação é de 14 anos.

Na sexta-feira, 26, às 18h30, o filme é “As Herdeiras”, de Marcelo Martinessi. Chela e Chiquita, herdeiras de uma família rica no Paraguai, vivem confortavelmente há 30 anos. Ao chegarem à terceira idade, percebem que o dinheiro não é mais suficiente e começam a vender seus bens. A classificação é de 12 anos.

No sábado, 27, às 16h30, vai ser exibido o filme “A Noiva do Deserto” das diretoras Cecília Atán e Valeria Pivato. Teresa sempre trabalhou na mesma casa em Buenos Aires como empregada doméstica, mas perde o emprego. Chamada para ajudar na preparação de um casamento em uma cidade do interior, durante a viagem, ela esquece a bolsa dentro do trailer de um vendedor ambulante. Esse inesperado incidente irá se tornar a salvação e libertação que Teresa estava precisando. A classificação é 12 anos.

No domingo, 28, às 16h30, exibição de “O Grande Circo Místico”, de Carlos Diegues. Inspirado em poema de Jorge de Lima e músicas de Chico Buarque e Edu Lobo, o filme mostra a história de cinco gerações de uma família dona do circo. Desde a inauguração, em 1910, até os dias atuais, os espectadores acompanham, com a ajuda de Celaví (Jesuíta Barbosa), o mestre de cerimônias do circo, as aventuras e os amores da família Kieps, do auge à decadência, até um surpreendente final. A classificação é de 16 anos.

Retomando a programação na terça-feira, 30, às 18h30, o filme é “Uma Noite de 12 Anos”, do diretor Álvaro Brechner. José Mujica, Mauricio Rosencof e Eleuterio Fernández Huidobro são militantes dos Tupamaros, grupo que luta contra a ditadura militar no Uruguai. Eles são presos em ações distintas e encarcerados junto a outros nove companheiros, de forma que não possam sequer falar um com o outro. A classificação é de 14 anos.

Na quarta, 31, às 18h30, exibição do documentário “Todos os Paulos do Mundo”, dos diretores Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, que faz uma homenagem aos 60 anos de carreira do ator brasileiro Paulo José, completados em 2017. A classificação indicativa é de 10 anos.

Agosto - A mostra Grande Prêmio do Cinema Brasileiro dobra o mês e começa em agosto, na quinta-feira, 1, às 18h30, com a exibição do filme “Eu, Tonya, do diretor Craig Gillesple. Tonya Harding dominava as pistas de gelo com perícia e sem rivais. Ela conseguiu superar a infância pobre e ser campeã do Campeonato de Patinação no Gelo do Reino Unido e segunda colocada no campeonato mundial. Porém, ela dominou as manchetes por algo totalmente diferente, depois o marido dela tentou incapacitar uma das concorrentes da esposa ao quebrar a perna da oponente, durante as Olimpíadas de 1994. A classificação é de 14 anos.

Na sexta-feira, dia 2, às 18h30, exibição do documentário “O Processo”, da diretora Maria Augusta Ramos. O filme oferece um olhar pelos bastidores do julgamento que culminou no impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 31 de agosto de 2016, testemunhando a profunda crise política e o colapso das instituições democráticas no Brasil. A classificação é livre.

No sábado, 3, às 16h30, o Olympia traz o filme é “My Name is Now, Elza Soares”, da diretora Elizabete Martins Campos. Um filme com a cantora Elza Soares, ícone da música brasileira, numa saga que ultrapassa o tempo, espaço, perdas e sucessos. Elza e seu espelho, cara a cara, nua e crua, ao mesmo tempo frágil e forte, real e sobrenatural, uma fênix, que com a força da natureza transcende e canta gloriosamente. A classificação é livre.

No domingo, 4, às 16h30, exibição de “A Forma da Água”, do diretor Guillermo Del Toro, ganhador do Oscar de Melhor Filme em 2018. Na época da Guerra Fria, por volta de 1962, no laboratório secreto e de alta segurança do governo onde trabalha, Elisa vive presa em uma vida de isolamento. Tudo muda para sempre, quando ela e a colega Zelda descobrem uma experiência secreta. A classificação é de 16 anos.

No dia 6, terça-feira, às 18h30, exibição de “A Voz do Silêncio”, do diretor André Ristum.  O filme, inspirado na experiência de vida do diretor, por meio de um olhar atento, varre a cidade grande e suas pessoas anônimas, que vivem suas vidas em tensão, resignados com o próprio destino. Uma realidade na qual os sentimentos e emoções perdem seu significado original consumidos pela urgência de novos valores. A classificação é de 16 anos.

No dia 7, quarta-feira, às 18h30, cartaz para “Três Anúncios Para um Crime”, de Martin McDonagh. A história acompanha uma mãe cuja filha é assassinada, e ela jura vingança e justiça a quem cometeu o crime. Cercando o trabalho da polícia local, ela não se conforma com a falta de evidências de que o crime será solucionado, e decide contratar pistoleiros para assassinar as pessoas que mataram a filha dela. A classificação é de 16 anos.

No dia 8, quinta-feira, é exibido às 18h30, “Alguém Como Eu”, do diretor Leonel Vieira. Após anos de namoro, Helena começa a imaginar seu parceiro, Alex, como mulher. A classificação é de 16 anos.

No dia 9, sexta-feira, às 18h30, “Cachorros”, de Marcela Said, vai estar em exibição. Marina é desprezada por seu pai e seu marido por não conseguir engravidar, e começa a sentir uma atração pelo seu professor, Juan. O relacionamento dos dois entra em colapso quando Mariana descobre que o passado obscuro de Juan está relacionado ao passado da família dela. A classificação indicativa é de 14 anos.

No dia 10, sábado, vão ser exibidos dois filmes. Na primeira sessão vai ser exibido o documentário “Ex-Pajé”, do diretor Luiz Bolognesi, às15h30. Um pajé passa a questionar sua fé depois de seu primeiro contato com os brancos, que alegam que sua religião é demoníaca. A classificação indicativa é livre.

A segunda sessão exibe o filme “O Paciente - O Caso Tancredo Neves”, do diretor Sérgio Rezende, às 17h. Os últimos dias da vida de Tancredo Neves, o primeiro presidente civil, eleito pelo colégio eleitoral no Congresso Nacional, depois da ditadura militar. A classificação indicativa é de 10 anos.

No dia 11, domingo, também terá duas sessões. Do diretor Gustavo Pizzi, vai ser exibido o filme “Benzinho”, às 15h30. Em meio ao cotidiano familiar e todos os acontecimentos inesperados que a vida em família costuma proporcionar, Irene precisa lidar com a partida prematura do filho mais velho para outro país e descobrir uma nova vida com o adolescente longe dela. A classificação indicativa é de 12 anos.

Na segunda sessão, às 17h, será exibido o filme “Bohemian Rhapsody”, do diretor Bryan Singer. O filme é uma celebração exuberante à banda inglesa Queen, sua música e seu extraordinário cantor principal Freddie Mercury, que desafiou estereótipos e quebrou convenções para se tornar um dos artistas mais amados do planeta. O filme deu o Oscar de Melhor Ator para Rami Maleck, em 2019. A classificação indicativa é de 14 anos.

Na terça-feira, 13, às 18h30, será exibido o filme “A Luta do Século”, do diretor Sérgio Machado. O filme narra a trajetória dos pugilistas Reginaldo Holyfield e Luciano Todo Duro, que encontraram no boxe uma maneira de escapar da miséria e tornaram-se dois dos maiores ídolos do boxe no Brasil. A classificação indicativa é de 12 anos.

Para encerrar a programação, na quarta-feira, 14, às 18h30, exibição do filme “Chacrinha - O Velho Guerreiro”, do diretor Andrucha Waddington. O filme é uma cinebiografia de José Abelardo Barbosa, narrando a trajetória desde o momento em que larga a faculdade de Medicina para se aventurar em seu primeiro “bico” como locutor de rádio. Aos poucos, a história se transforma e traz o nascimento do alter ego mais conhecido do Brasil, o velho guerreiro, Chacrinha. A classificação indicativa é de 12 anos.

Agência Belém - Você ficou com alguma dúvida ou tem sugestões para enviar à Agência Belém? Entre em contato conosco pelo nosso canal de divulgação das principais ações do município pelo número (91) 98027-0629. Aguardamos sua mensagem.

Tags

fumbel

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder