PROJETO UBÁ

Comunidade da Vila da Barca recebe oficinas patrocinadas pela Fumbel

O projeto Ubá - Amenizando Dores Através das Cores, patrocinado pela Prefeitura de Belém, por meio do edital de cultura da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), está promovendo oficinas de grafite, pintura, reciclagem e serigrafia, na sede da Fundação Curro Velho, no bairro do Telégrafo. O objetivo é ocupar o tempo livre de crianças e jovens da Vila da Barca, que fica localizada às proximidades, promovendo capacitação por meio de arte urbana.

As atividades, deste que é o segundo módulo das oficinas do projeto Ubá, seguem até o dia 4 de setembro, na Fundação Curro Velho, no período da manhã e à tarde, das 8 às 12 horas, e das 14 às 18 horas. Todas as oficinas são gratuitas.  

Jin Barreto é artista urbano há 20 anos e idealizador do projeto Ubá. A ideia de criar o projeto veio depois que ele teve contato com a desigualdade social da comunidade da Vila da Barca. “Quando pude vivenciar a rotina desse lugar, eu quis contribuir com a arte urbana em geral. O grafite faz o resgate dos jovens como uma válvula de escape, buscando com que eles se encontrem dentro da arte e se capacitem”, explicou o coordenador.

Oficinas - Segundo Márcio Saraiva, instrutor das oficinas de reciclagem, as aulas têm sido muito proveitosas, motivadas pela identificação dos alunos com as atividades. “Eles gostam de estar aqui, porque damos muita atenção ao que eles fazem. Nós temos muita amizade, aquela coisa unida. Eles se sentem acolhidos, como se fosse a segunda casa deles”, contou Márcio.  

Carlos Henrique Barbosa tem 16 anos e conheceu o projeto, a partir de uma ação do projeto Ubá no bairro da Cabanagem. Como já tinha interesse pela arte urbana, resolveu procurar as oficinas. “Eu fiz só pra ver como era. Eles estavam desenhando e grafitando no muro. No primeiro dia em que eu vim, já gostei e fiquei. Gosto de vir pra cá, porque eu não tenho nada pra fazer fora daqui nesse horário. Aqui, eu estou fazendo o que eu gosto de verdade”, destacou o adolescente.

Gabriel Freitas tem 22 anos, é morador da Vila da Barca, e diz que leva os conhecimentos aprendidos no projeto para as ruas. “Dentro das oficinas, podemos criar coisas de tudo o que é jeito, de qualquer maneira, com várias técnicas, porque temos acesso a ferramentas. Aqui, eu passo os meus conhecimentos para as crianças menores. O conhecimento que guardo pra mim, eu levo pra rua, fazendo minhas artes nas paredes e nas telas que existem pela cidade”, detalhou o aluno.

Serviço: Para se inscrever no projeto Ubá é necessário comparecer à Sala de Gravura da Fundação Curro Velho, na rua Nelson Ribeiro, número 287, no bairro do Telégrafo.

Tags

fumbel

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder