Reconhecimento

Redes premia empenho da indústria para fortalecer cadeia de fornecedores locais

Vale, Hydro, Norte Energia, Dow, Imerys, Celpa e Alubar se destacam na sétima edição do certame, que marca o recorde de compras no valor de R$ 10,6 bilhões.

A 7ª edição do Prêmio Redes de Desenvolvimento se consolidou na manhã desta quinta-feira, com a cerimônia de premiação realizada no Sesi Getúlio Vargas. A Redes - Inovação e Sustentabilidade Econômica integra o Sistema Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa) e promove o evento desde 2011, reconhecendo o esforço em favor da economia estadual feitos pelas empresas parceiras que mais se destacam na compra de produtos e serviços dentro do mercado paraense.

A premiação é feita em duas categorias: Percentum, para as empresas que mais compraram em termos percentuais, e Absolutus, para as que mais compraram em volume de investimentos. Também é escolhido o Comprador do Ano, dentre os colaboradores das indústrias, e o Case de Desenvolvimento de Fornecedores. Vale, Hydro, Norte Energia, Dow, Imerys, Celpa e Alubar se destacaram na premiação, que também fez uma homenagem ao Governo do Estado.

“Para nós da Vale é motivo de muito orgulho essa parceria, por todo o trabalho desempenhado de forma séria e competente que a Redes faz. O prêmio reafirma o compromisso de ser uma empresa brasileira, sim, mas também paraense”, declarou o gerente de relações governamentais da Vale, José Fernando.

“Essas premiações mostram o sério compromisso da Hydro com o desenvolvimento da indústria, das comunidades e da economia do nosso estado”, observou Carlos Neves, diretor de operações de bauxita & alumina da Hydro.

“Uma das filosofias da Norte, que é uma empresa do Pará gerando energia para o Brasil, é o desenvolvimento não apenas da região como também das pessoas”, afirmou Eduardo Camillo, superintendente de relações institucionais da Norte Energia.

“Esse é um trabalho que já vem sendo desenvolvido há alguns anos dentro da Imerys, com todo apoio dos gestores. É algo contínuo que contribui para o crescimento da região”, ressaltou Dalila Patelo, analista de contratos da Imerys. 

“O momento é de reconhecer a importância desses grandes projetos para o Estado do Pará, e os efeitos no que diz respeito à internalização dos recursos, que gera renda e empregos”, acrescenta o presidente da Fiepa, José Conrado Santos.

Indústria desmistificada

A Redes - Inovação e Sustentabilidade Econômica começou a surgir quando a Federação das Indústrias do Pará, no ano e 2000, lançou o Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF), em parceria com as empresas Imerys, Hydro (Albrás e Alunorte), Mineração Rio do Norte, Vale e o Governo do Estado. 

Onze anos depois, o PDF virou Redes de Desenvolvimento de Fornecedores do Pará. Até então, o volume de compras locais pela indústria se multiplicou 40 vezes, passando de R$ 173 milhões para R$ 6,8 bilhões. Atualmente, as compras de fornecedores locais feitas pela 33 indústrias parceiras da Redes já somam R$ 110,7 bilhões, tem 12 grandes projetos industriais instalados no Pará como parceiros, além das 21 empresas apoiadoras e três cooperadoras.

Uma das faces mais importantes da Redes está voltada para o fornecedor, que recebe treinamento para entrar no ambiente de negócios da indústria. A organização já atua em 25 municípios e até 2018 promoveu mais de 300 horas em capacitações. “A gente desmistificou a questão do ambiente industrial. Havia um certo receio e desconhecimento sobre isso. Também conseguimos disseminar entre as indústrias o reconhecimento de que é importante comprar no mercado local”, diz Marcel Sousa, executivo de gestão da Redes. “É mais barato e traz muitos outros benefícios para a sociedade”.

“Nosso desafio, através do trabalho da Redes, é mostrar a esses projetos que vale a pena investir no estado, apostando nos nossos fornecedores locais. Além disso, é nossa missão despertar cada vez mais nesses empresários locais a vontade de estarem preparados para atenderem melhor essas grandes indústrias, além de oportunizá-los a outros projetos”, explica. 

Segundo ele, fornecer para uma multinacional é um desafio interessante e não pode ser fácil, se não todo mundo forneceria. “É como um atleta que disputa a Olimpíada: tem de se preparar, treinar, participar de competições menores e acompanhar os indicadores de desempenho, senão não chega lá”, compara. 

Prêmio Redes 2018

Categoria Percentus

1º Dow

2º Imerys

3º Celpa e Alubar

Categoria Absolutus:

1º Vale

2º Hydro

3º Norte Energia

Comprador do Ano:

André Furtado, analista de compras da Imerys.

Case de Desenvolvimento de Fornecedores:

Movimento, fornecedora da Norsk Hydro.

Tags

Fiepa indústria Premiação Redes

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder