Rotas integradas

Integração entre Pará e Maranhão viabiliza criação de nova rota turística

Seguindo a tendência nacional, cidades de estados vizinhos - Parauapebas e São Luís - em breve estarão interligadas pelo turismo.

Rotas integradas contribuem com a consolidação de novos roteiros turísticos, desta vez, entre estados do Norte e Nordeste. Representantes do turismo em Parauapebas, Pará e São Luís, Maranhão, dialogam para concretizar a criação de uma nova opção de roteiro.

Para quem gosta de novas experiências, viajar conhecendo as belezas geográficas e ambientais entre os dois estados por meio da linha de ferro Carajás, que será, em breve, potencializada para além do escoamento do minério de ferro, é só aguardar. Esta será mais uma alternativa turística a ser divulgada e comercializada por agências de viagem do Brasil e do mundo.

Em agosto do corrente ano, a presidente do Conselho Municipal de Turismo de Parauapebas (Comtup), Aglaudene Tomé e o diretor de Produtos do Departamento de Turismo de Parauapebas (Detur), Dácio Souza, estiveram em São Luis, para tratar da criação de uma nova rota turística integrada, juntamente com representantes da pasta do turismo no Maranhão. A proposta irá estimular a demanda natural de visitantes e atrair novos turistas, o que alavancará a economia em ambas as regiões.

Ainda nesse mês de setembro, a Prefeitura Municipal de Parauapebas por meio do Departamento de Turismo (Detur) receberá em Parauapebas, representantes do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) do Maranhão e do Pará para elaboração do plano de trabalho que instituirá  a nova rota.

Catulé Junior, gestor da Secretaria de Turismo do Estado do Maranhão, avaliou positivamente a proposta do roteiro integrado e afirmou que os interesses são convergentes:  “tenho certeza que o projeto logrará êxito”, declarou o secretário.

Para Aglaudene Tomé, presidente do Comtup, esta é mais uma rota turística que alavancará a economia na região de Parauapebas, que juntada às rotas já consolidadas, City Tour, das Águas, do Búfalo, Carajás e Indígenas, viabilizará o aumento do fluxo de turistas na cidade, que se movimenta e se organiza cada vez mais em favor do crescimento turístico.

O planejamento estratégico do segmento turístico no Brasil vem avançando nesse formato. As rotas integradas em serras catarinenses, já consolidadas, recebem turistas de todo Brasil e durante o ano inteiro e, servem de modelo para os demais estados brasileiros.

É sempre um prazer conhecer as rotas integradas entre cidades de um mesmo estado, a exemplo da “Rota da Amizade” que reúne experiências entre cidades vizinhas em serras catarinenses - Piratuba, Joaçaba, Treze Tílias, Videira, Fraiburgo, Tangará e outras.  Rotas integradas seguem o mesmo modelo nos estados da região Sul. A rota do “Trem das Thermas” que liga cidades termais e históricas de Piratuba (SC) e Marcelino Ramos (RS) por meio de um passeio de Maria Fumaça pela ferrovia as margens do rio Peixe, que passa pela ponte rodoferroviária sobre o rio Pelotas, promove um grande apelo turístico. Neste exemplo, ambos os rios dão início ao rio Uruguai que mais abaixo integra a Bacia do Plata localizada na divisa do sul do Brasil, Argentina e Uruguai.

Entre os “cases de sucesso” do Brasil, está a “Rota das Emoções”, no Nordeste, já consolidada e que reúne em seu roteiro cidades do Maranhão, Piauí e Ceará. Outra rota integrada que está em andamento nos remete à Amazônia Brasileira e reunirá cidades do Amazonas, Pará e Maranhão.

O Programa Investe Turismo, uma iniciativa conjunta pelo Ministério do Turismo (MTur), Sebrae e Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) tem como meta unir setores público e privado para organizar e promover a competitividade de 30 rotas turísticas estratégicas em todo o território nacional, um investimento na ordem de R$ 200 milhões, a ser disponibilizado para  aumentar a qualidade do turismo promovendo a melhoria dos serviços atrativos com foco nas micro e pequenas empresas; ao marketing e apoio à comercialização por meio de campanhas e produção de inteligência mercadológica;  para ampliar o fluxo de turistas em diversos destinos; promover a geração de negócios, empregos e renda e promover o acesso a linhas de crédito e fontes de financiamento do turismo para novos empreendimentos.

Entre ações previstas no Plano Nacional de Turismo 2018/2022 está à definição de um novo posicionamento do Brasil como destino turístico e a retomada do crescimento. A projeção é que o Programa Investe Turismo contribua com o novo posicionamento e promova mudanças para melhor em relação ao turismo brasileiro.

O Investe Turismo selecionou 30 rotas turísticas estratégicas no Brasil, que englobam 158 municípios das 27 unidades da Federação. O investimento inicial será de R$ 200 milhões. A região Norte está contemplada com sete rotas nessa primeira fase do projeto. No Pará, a rota “Belém, Ilha do Marajó, Santarém e Alter do Chão” vai proporcionar ações em cinco municípios: Belém, Salvaterra, Soure, Santarém e Belterra. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, quando esteve a capital paraense, no dia 26 de agosto, no Teatro Gasômetro, por ocasião do 18º seminário itinerante do Investe Turismo destacou o potencial do Estado para atrair visitantes nacionais e internacionais, que será catalisado pelo Investe Turismo. À época, ele declarou que programa, desenvolvido pelo Ministério do Turismo em parceria com Embratur e Sebrae, busca aumentar a qualidade e a competitividade em rotas turísticas no Brasil, com foco na geração de empregos e renda para a população.

(Informações com apoio assessoria comunicação Detur /PMP e Conselho Municipal de Turismo de Parauapebas)

Tags

Parauapebas Turismo VALE

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder