Garfada dos Aflitos

STJD determina não homologação do resultado da partida entre Náutico e Paysandu

Despacho divulgado pelo Paulo Salomão garante realização da semifinal entre Juventude e Náutico paralelamente ao julgamento da impugnação do jogo das quartas, disputado dia 8.

Rio de Janeiro, RJ, 13 (AFI) - O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) acatou o pedido do Paysandu e determinou a não homologação do resultado da partida contra o Náutico, que deu ao clube pernambucano o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro. No entanto, a entidade optou por não paralisar a Terceira Divisão nacional.

O Paysandu pede a impugnação da partida de volta das quartas de final da Série C contra o Náutico alegando "erro de direito" no pênalti marcado para o time pernambucano aos 49 minutos do segundo tempo, pelo árbitro Leandro Pedro Vuaden, que empatou a partida no tempo regulamentar e levou à decisão nas cobranças de pênaltis.

Mesmo determinando a não homologação do jogo de volta das quartas de final do Brasileiro nos Aflitos, o Tribunal mantém garantida a realização do primeiro jogo da semifinal entre Timbu e Juventude, que ocorrerá neste domingo, dia 15, no Rio Grande do Sul. Na visão do presidente do STJD a paralisação da competição resultaria em um dano “demasiadamente acentuado” não apenas aos clubes envolvidos, mas ao campeonato.

"Recebo a presente impugnação e determino que se dê imediato conhecimento da instauração do processo ao Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, para que não homologue o resultado da partida realizada no dia 08/09/2019, válido pelas quartas de final do Campeonato Brasileiro da Série C 2019, entre Paysandu e Náutico Capibaribe", disse o presidente do STJD no site oficial da entidade.

"No que se refere ao requerimento de tutela provisória, tenho que deva ser indeferido. É que em que pese os ponderosos argumentos trazidos pela defesa da Impugnante, revela-se inegável que o dano reverso que decorreria imediatamente em consequência da medida vindicada, qual seja, a paralisação da fase final do Campeonato Nacional da Série C, revela-se demasiadamente acentuado, não somente para os Clubes envolvidos, mas para todo o Desporto, o que impede a sua concessão”, concluiu.

O documento ainda dá o prazo de dois dias úteis para o Náutico encaminhar manifestação ao Tribunal. Após isso, a Procuradoria do órgão também terá mais dois dias úteis para se manifestar.

 

Leia a decisão:

Tags

futebol Paysandu

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder