Inovação

Startup paraense cria software para controle de obras via aplicativo

Do orçamento ao acompanhamento de obras: plataforma paraense facilita o dia a dia da construção civil.

Ampla experiência no mercado de Tecnologia da Informação e conhecimento profundo da rotina de construtoras inspiraram os irmãos Chaar na criação da Vigha, plataforma que facilita o fluxo de informações no gerenciamento de projetos e obras.

Orçamentos, cronogramas, sequenciamento de tarefas, relatórios, relacionamento com fornecedores e o cliente final: administrar todas as atividades envolvidas no planejamento e execução de uma obra pode ser uma tarefa complexa que, se mal gerenciada, gera retrabalho e aumento dos custos. Neste contexto surgiram as construtechs, empresas de tecnologia focadas na solução de problemas do setor da engenharia civil. Um mapeamento realizado em 2019 aponta 500 delas no Brasil e a Vigha, startup instalada no Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, em Belém, é uma delas.

Criada em 2015, a startup paraense desenvolveu um software que possibilita o controle do canteiro de obras via aplicativo, com funcionalidades como criação de orçamentos, planejamento do cronograma físico financeiro, controle de custos, medição física e diário de obras com captura de imagens direto do canteiro.

Com clientes em todas as regiões do Brasil e também na Angola, mais de 4.500 obras e mais de R$ 42 milhões já foram administrados através da plataforma. Segundo um dos fundadores, Marcelo Chaar, o diferencial está na interface simples e intuitiva. “Hoje os demais softwares que fazem esse tipo de gestão exigem um treinamento intenso por possuírem uma complexidade de utilização e isso acaba elevando o custo para a construtora. Nós fomos em um caminho contrário, que não estava sendo bem atendido, o das micro e pequenas empresas (MPEs) e autônomos. Criamos uma ferramenta intuitiva e modular, que pode ser adequada a diferentes perfis de empreendimentos”, afirma Chaar.

Facilidades – A plataforma pode ser acessada em diferentes dispositivos, no computador ou no smartphone, por meio do aplicativo. Isto possibilita que o gestor tenha o controle das informações no escritório ou no próprio canteiro de obras.

O software também conecta diferentes stakeholders do projeto: orçamentistas, engenheiros, gestores, setor administrativo e o cliente final, facilitando o fluxo de informação e agilizando a tomada de decisões. Customizável, o serviço da plataforma é oferecido de maneira modular, de acordo com orçamento e perfil cliente, identificado na consultoria inicial que a equipe da startup faz com o gestor para identificar se a solução tem aderência às necessidades da empresa.

A MMR Engenharia Inteligente, empresa sediada em João Pessoa, na Paraíba, é uma das atendidas pela Vigha. Seu sócio fundador e diretor de engenharia, Rafael Rabelo, aponta o fluxo ágil de informações como o maior diferencial do serviço prestado. “Tivemos um ganho gigantesco em todos os sentidos, mas principalmente na comunicação com os nossos clientes porque nós passamos a ter em uma plataforma todas as informações com os diferentes stakeholders envolvidos no projeto – o contratante, que são os nossos clientes, e os projetistas. Isso possibilitou um fluxo de informações mais ágil e uma elaboração de proposta mais contundente pro nosso cliente”, afirma o diretor.

“Outro ganho fundamental é a confiança do cliente, a partir do momento em que tem a chance de acompanhar a obra em todos os sentidos, desde relatório fotográfico até lançamentos de despesas”, acrescenta o sócio diretor da MMR Engenharia, Tiburcio Magliano.

Histórico – A startup surgiu em 2015, após Fábio Chaar e Marcelo Chaar invalidarem uma outra startup, a Avisaí, durante o processo de aceleração da Startup Farm que foi realizado na Universidade de São Paulo (USP). Formados em ciência da computação, com ampla experiência de mercado e expertise em sistemas de alta complexidade e criticidade, a startup surgiu após os irmãos imergirem na cadeia da construção civil em busca de problemas que pudessem ser solucionados com inovação.

“Vivenciando a realidade da construção civil no dia a dia percebemos que diversas situações poderiam ser melhoradas com a aplicação da tecnologia. A partir disso começamos a participar de feiras e eventos. Fizemos visitas técnicas para conhecer toda a cadeia da construção, acompanhamos obras em execução gerando e validando com os gestores as informações mais relevantes. Fizemos o mesmo no setor administrativo e junto aos fornecedores da construção”, relembra Marcelo Chaar.

A partir da vivência criaram a primeira versão da Vigha e conseguiram a adesão dos dois primeiros clientes. Desde então trabalham de maneira contínua no aperfeiçoamento e atualização da plataforma. Hoje a startup conta com um canal de suporte e vendas e já atingiu a marca do atendimento de mais 200 empresas do setor da construção e mais de R$ 1 bilhão em orçamentos gerados na plataforma.

Tags

Construção Empreendedorismo inovação startups

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder