INCENTIVO

Projeto “Lendo e Relendo as Bibliotecas Escolares” celebra 10 anos do Clube da Leitura

Na manhã desta sexta-feira, 08, a Escola Municipal República de Portugal, do bairro da Marambaia, celebrou os 10 anos do Clube da Leitura que faz parte do projeto “Lendo e Relendo as Bibliotecas Escolares”. O projeto apresenta as ações de incentivo e socialização da leitura, com a participação dos alunos do 3° e 4° ano, comunidade e dos ex-alunos da escola que continuam no clube.

O Clube da Leitura é uma iniciativa da biblioteca escolar Turma da Mônica, idealizado em 2009, pela pedagoga Solange Souza, que atua como professora auxiliar da biblioteca, e conta com a participação de 30 alunos leitores.

“Além de promover encontros semanais para leitura, conversas sobre obras e troca de informações sobre gostos literários, buscamos incentivar os alunos a se tornarem porta-voz da leitura literária entre os colegas, divulgando a biblioteca”, conta a pedagoga, que ressalta que os alunos se reúnem no contraturno escolar.

Dentro da programação houve performance literária, exposição de textos de autores da literatura brasileira e bate-papo com a escritora Andréa Cozzi, que contou um pouco dos contos amazônicos como “A Mulher Fofoqueira” e o “Igarapé Encantado”, do livro “Apanhadores de Histórias: Contadores de Sonhos”, escrito em parceria com Sônia Santos.

Dezenas de outros alunos ficaram curiosos para saber como Andréa havia se tornado escritora e ela deu a dica: “É um processo natural. Depois de ler muito a gente sente necessidade de compartilhar as histórias. E pode ser de várias formas, algumas pessoas contam por meio de conversas, desenhos ou escrita. Eu recomendo que comece com um diário contando as coisas do cotidiano”, comentou com a plateia.

Leandro Gonçalves Silveira, de 9 anos, estudante do 3° ano é um dos integrantes do Clube de Leitura e já se tornou um porta-voz. Ele conta que adora ler para os colegas. “Já contei as histórias do ‘Boitatá’, do Curupira e do Saci Pererê. Gosto de contar histórias, porque me sinto dentro delas. E os meus colegas pedem pra eu contar mais”, disse.

A empregada doméstica, Eunice Lima Gonçalves Silveira é mãe de Leandro, que ainda estuda no espaço e de Letícia Silveira, ex-aluna da escola. Ela é colaboradora do clube. “Não tive incentivo à leitura quando criança, porque meu pai era machista. E quando soube do clube incentivei meus filhos, primeiro a Letícia e agora o Leandro. Em casa fizemos um cofrinho só para a feira do livro”, comentou. “Meus filhos se desenvolveram além da leitura, o que ajudou a melhorar o raciocínio lógico da Letícia”, confidenciou Eunice, que hoje é formada em pedagogia por conta da vivência no Clube de Leitura.

Muitos ex-alunos da escola participaram da comemoração, como Gabriela Ferreira Ribeiro, de 19 anos, que enfrentou uma leucemia quando criança e teve a companhia dos livros enquanto estava internada. Hoje, ela faz parte do blog “Histórias Que Vivi”, escrevendo resenha de livros. “A professora sempre implantou a leitura na nossa vida e isso me ajudou muito quando fiquei hospitalizada e não podia receber visitas. Eles me fizeram companhia”, contou.

Ao final da comemoração, foi anunciado o ganhador do concurso de frases que tinha como tema “A Biblioteca Faz a Diferença”. Elaine Maia Campos, do 4° ano, foi a vencedora com a frase: “A biblioteca pra mim é um lugar onde as crianças entram para ler e começam a imaginar e depois quando saem de lá começam a criar...”. Ela ganhou uma sacola com livros.

SISMUBE – Visando democratizar o acesso aos livros e incentivar alunos e comunidade escolar da rede municipal para a leitura, a Prefeitura de Belém, por meio do Sistema Municipal de Bibliotecas Públicas (Sismube) atua em 78 escolas com bibliotecas próprias e em 90 escolas que recebem o projeto “Baú das Histórias” que tem um acervo de mais de mil livros da literatura infantil.

Tags

semec

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder