CULTURA

Cinema Olympia recebe I Festival de Cinema Negro

O Cinema Olympia recebeu nesta quarta-feira, 13, o I Festival de Cinema Negro Zélia Amador de Deus, que exibiu filmes com protagonistas e cineastas negros voltados para o público infanto-juvenil da Escola Municipal Maria Madalena Raad, de Icoaraci. A iniciativa tem o apoio do projeto “Festival Esú de Empreendedorismo e Cultura Afroamazônica”, patrocinado pela Prefeitura de Belém, por meio do edital de projetos culturais da Fundação Cultural do Município (Fumbel). O festival segue até o dia 27 em outros locais da cidade.

No Olympia, os alunos puderam assistir a filmes de produções de várias partes do Brasil, como: “Lily's Hair”, de Raphael Silva, de Goiânia (GO); “Ilhas de Calor”, de Ulisses Arthur, de Viçosa (AL); “Guri”, de Adriano Monteiro, de Vila Velha (ES); “Zana”, de Augustto Gomes, de Manaus (AM).

Segundo a gerente do Cinema Olympia, Nazaré Moraes, o Festival de Cinema Negro é uma oportunidade de desenvolver reflexão e posicionamento crítico sobre o tema. “Receber essa programação no Cine Olympia reafirma o papel deste cinema como um espaço democrático, é a forma que a sétima arte contribui com outro olhar para a temática negra”,disse.

Festival – A iniciativa do I Festival de Cinema Negro é do Cine Diáspora, um projeto de iniciativa pessoal da artista visual Luana Peixe e do cineasta Rafael Ferreira, e homenageia a professora e ativista paraense Zélia Amador de Deus, referência nacional na luta pela valorização de mulheres e homens negros. O objetivo das exibições é discutir o racismo por meio do audiovisual e valorizar o cinema afro-brasileiro, sobretudo na Região Amazônica.

Durante a programação do festival haverá uma seleção especial de filmes de produtores da região que concorrerão ao troféu Zélia Amador de Deus. Além da exibição e premiação, a mostra contará com debates e oficinas.

A idealizadora do festival de cinema, Luana Peixe, conta que recebeu mais de 100 inscrições do Brasil inteiro e destaca a importância do protagonismo negro dentro e por trás das telas. “O cinema feito por negros e negras traz as narrativas que questionam o racismo e que afirmam a história e cultura de um povo”, afirmou a artista visual.

Parceria – O Festival Esú é um circuito de atividades voltadas para a valorização e fortalecimento das pautas da população negra amazônica em Belém. A iniciativa da parceria com o Cine Diáspora é de viabilizar espaços e estruturas para exibição do trabalho realizado por protagonistas e cineastas negros de produções de curta, média e longa duração.

“A gente pensa na potencialidade que é a Amazônia, a diversidade de histórias e memórias que existem da população negra dentro dessa região. Pensar na produção audiovisual e o quanto ainda precisa se aperfeiçoar e se empoderar, isso é elemento de Esú”, destacou o coordenador do projeto, Weverton Rodrigues.

Confira a programação completa:

- 14 de novembro

Local: Cine Curumim – Icoaraci

Público: infantil

Horário: 18h às 20h

Filmes:

“Zana, o filho da mata”, de Augustto Gomes

“A câmera de João”, de Tothi Cardoso

“Lily’s Hair”, de Raphael Silva

- 18 de novembro

Local: Casa das Artes

Horário: 19h às 21h

Filmes:

“Negra Ysa – Revolução da negritude”, de Sibely Nunes

“Thais Badu – Minha história”, de Thais Badu

“Banda Cout – Vivijaei”, de Neil York e Nanda Dk

“O canto da ribeira”, de Sandra Maria Job

“Mana Maria”, de Sandra Maria Job

“Corpo”, de Vitor Rocha

“Mãe não chora”, de Carol Rodrigues e Vaneza Oliveira

“Necrópoles”, de Italo Oliveira

- 20 de novembro

Local: Sarau Multicultural de São Brás

Horário: 18h às 22h

Filmes:

“Sem asas”, de Renata Martins

“CoroAção”, de Juciara Áwô e Luana Arah

“Mormaço sonoro”, de Keila Serruya e Thiago Hermido

“Onde nascem os deuses”, de Henrique DPK

“Volta”, de Ramon Reis

- 23 de novembro

Local: rua dos Pretos, Terra Firme

Horário: 19h a 0h

Atividade: apresentação de reggae

Filmes:

“Fios da resistência”, de Larah Camargo

“Quem passou primeiro foi São Benedito”, de Pablo Monteiro

“Lealdade”, de Milene Avelar e Ana Stela Cunha

“Bicho d’água entrevista MC Zook”, de Pablo Monteiro

“Mãe não chora”, de Carol Rodrigues; Vaneza Oliveira

- 24 de novembro

Local: Cine Parque Quebrada, Ananindeua

Horário: 15h às 20h

Atividade: oficina audiovisual para crianças

Filmes:

“Zana, o filho da mata”, de Augustto Gomes

“A câmera de João”, de Tothi Cardoso

“Lily’s Hair”, de Raphael Silva

“Guri”, de Adriano Monteiro

- 27 de novembro

Local: Cine Paredão, UFPA

Horário: 18h às 21h

Atividade: Roda de conversa com Rosilene Cordeiro

Filmes:

“Cabeças Falantes”, de Natasha Rodrigues

“É nós por nós”, de Arthur Costa

“(B)elas”, de Nádia D’Cássia

“Sample”, de Ana Júlia Travia

“Amor de ori”, de Bruna Barros

Tags

fumbel

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder