Em Goiânia

Polícia do Pará prende acusado de ser mandante do triplo homicídio na Cabanagem

A operação que resultou na prisão de Jorge Luís Miranda Pereira, conhecido como “Nena”, contou com o apoio do Núcleo de Inteligência de Goiás e de policiais civis do Pará que integram a Força Nacional.

Em menos de 48 horas após o triplo homicídio ocorrido no bairro da Cabanagem, em Belém, uma força-tarefa do Sistema de Segurança Pública do Pará prendeu em Goiânia (GO), na tarde desta terça-feira (7), um dos acusados de mandar assassinar um policial militar e mais duas pessoas, no último domingo (5). A operação que resultou na prisão de Jorge Luís Miranda Pereira, conhecido como “Nena”, contou com o apoio do Núcleo de Inteligência de Goiás e de policiais civis do Pará que integram a Força Nacional. Mais três envolvidos no crime já foram identificados, e as investigações prosseguem para que também sejam capturados.

Em suas redes sociais, o governador do Pará, Helder Barbalho, ressaltou a eficiência dos órgãos de segurança pública e agradeceu o apoio da Polícia de Goiás. “Em menos de 48 horas a força-tarefa dos órgãos de segurança do Estado prendeu o mandante do triplo homicídio. O suspeito foi preso em Goiânia. Agradeço o apoio da Polícia Civil de Goiás, que nos ajudou na missão”, escreveu o governador.

Ele também ressaltou a agilidade nas investigações, que resultaram na identificação dos demais envolvidos. “É questão de tempo as prisões. Reitero o compromisso, em meu governo, dos órgãos de segurança pública em garantir paz para a população. Não vamos permitir que a violência vença no Estado”, afirmou Helder Barbalho.

A prisão do suspeito de ser um dos mandantes do crime foi anunciada pela Polícia Civil do Pará em coletiva à imprensa, na tarde desta terça-feira (7), na sede da Delegacia-Geral, em Belém.

Prisão - Equipes da Polícia Civil dos estados do Pará e Goiás, em conjunto com o grupo tático com integrantes da Força Nacional, cumpriram na capital goiana os mandados de prisão preventiva e de recaptura expedidos contra Jorge Luís Miranda Pereira, foragido do sistema penitenciário paraense desde 2013. O acusado, que estava em Goiânia há cerca de dois meses, é considerado de extrema periculosidade, sendo apontado pela Polícia Civil como um dos mandantes do assassinato do sargento PM Vilhena, do sogro e de um vizinho do policial. Dois homens, em uma motocicleta, também atiraram contra a esposa do sargento, que está internada no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência.

“O Jorge Luiz, vulgo ‘Nena’, tem uma função hierárquica na facção. Lá, ele tem um grau elevado e de efetiva atuação no bairro da Cabanagem. Ele possui um poder em determinar quem deve ou não morrer ali naquela região. Por isso, estamos organizando para que, o quanto antes, seja feito o recambiamento dele para o nosso Estado. A nossa equipe encontrou com ele uma pistola 3.80”, acrescentou o delegado-geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira.

Mais acusações - O preso responde a cerca de cinco inquéritos e também é acusado de ter participado do planejamento para a execução de atentados contra agentes de segurança pública do Pará. Ele é responsabilizado pela morte de duas pessoas ocorridas em abril de 2018, na arena de futebol conhecida como “Campo do Chuveirinho”, no Bairro do Coqueiro, na Região Metropolitana de Belém. Entre as vítimas havia um subtenente da reserva da Polícia Militar. As investigações sobre o caso continuam em ritmo intenso, para localizar e prender os demais envolvidos no crime.

“É questão de tempo. A resposta imediata já foi dada. Agora, vamos seguir a apuração e prender o restante do grupo criminoso. Este é o nosso compromisso”, ressaltou o titular da Polícia Civil. (Com informações da Secom).

Tags

cabanagem FORÇA NACIONAL policia civil

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder