ANO LETIVO

Semec investe na educação infantil e EJA com criação e disponibilidade de vagas

Acreditando na educação como caminho para o desenvolvimento social e econômico da capital paraense, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec), vem investindo, ao longo dos últimos dez anos, na educação infantil, fundamental e no Ensino de Jovens e Adultos (EJA). Um exemplo desse investimento foi o salto de 40 para 89 unidades municipais de educação em tempo integral no município, com disponibilidades de vagas em creches para crianças de zero a cinco anos.

“Desde o dia 5 de dezembro do ano passado, abrimos o processo de matrículas para a inclusão de novas crianças, no qual sobraram vagas. Abrimos novamente uma segunda chamada nos dias 9 e 10 de janeiro deste ano e, possivelmente, por motivo de sobra de vagas, ainda abriremos uma terceira chamada de matrículas para as escolas municipais”, explicou Célia Pena, coordenadora da Educação Infantil da Semec.

Educação Infantil - De acordo com a Secretaria, a capital dispõe de 125 Unidades de Educação Infantil, e destas, 89 são de educação integral (creches). De 2013 a 2019, 11 unidades de educação infantil foram construídas e mais 11 foram alugadas e conveniadas.

Atualmente, 13 unidades estão sendo construídas, que trarão cerca de três mil vagas novas na rede municipal de educação. “Ainda estamos em fase de matrículas e de acordo com o sistema do Núcleo Setorial de Planejamento da Semec, não há déficit de vagas na rede. Ao contrário, houve sobra de vagas”, acrescentou Célia Pena.

Matrículas - Desde 2019, a Semec criou o sistema de matrícula on-line que zerou a fila nas escolas. O processo é feito em duas etapas, com a pré-matrícula on-line e depois com a confirmação da inscrição na escola selecionada no site. Esse ano, a Semec disponibilizou 21.865 novas vagas, incluindo educação infantil, fundamental e EJA.

EJA - Sem nenhuma pretensão de extinção e sim para um melhor rendimento das aulas, a Secretaria reorganizou a oferta da modalidade de Ensino de Jovens e Adultos (EJA), em algumas unidades educacionais que estavam constatando um índice de evasão escolar, o que impossibilitava o fechamento de turmas. Assim, a modalidade passou a ser oferecida nas unidades educacionais com maior demanda para preenchimento de turmas.

“Temos como exemplo o caso da escola Estelina Walmon, no bairro da Terra Firme, que após uma avaliação técnica, feita nos últimos três anos, foi constatada uma diminuição na frequência de alunos. Dessa forma, para que o bairro não ficasse desprovido da modalidade, concentramos o EJA na escola municipal Solerno Moreira, com disponibilidade de vagas”, explicou a diretora de Educação da Semec, Ana Célia Carvalho.

Alfabetização - Atualmente, a Semec atende a mais de 18 mil alunos do ciclo de alfabetização do 1º ao 3º ano do ensino Fundamental, que estão sendo alfabetizados. Na Educação de Jovens e Adultos (EJA), são mais de 5 mil alunos em 35 escolas com 168 turmas.

No projeto “Alfabetização em Movimento” existem 20 alunos no Mercado de Carne e Centro POP, e no Projovem, que é um programa parceria com o Governo Federal, são 142 alunos que estão sendo alfabetizados.

Tags

semec

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder