BAIRRO DO BENGUÍ

Prefeitura entrega obra de reforma da escola Professora Angélica do Carmo Santos Paiva

Na manhã desta quarta-feira, 12, a Prefeitura Municipal de Belém reinaugurou a antiga unidade educacional do bairro Benguí, que passou a ser chamada de Escola Municipal de Educação Infantil Professora Angélica do Carmo Santos Paiva, homenagem a uma servidora dos quadros da Secretaria Municipal de Educação (Semec), falecida em 2019.

A unidade de ensino, que foi toda revitalizada e climatizada, recebeu um aporte de investimentos, em reforma, de mais de R$ 330 mil, por meio da Semec. Além disso, foi adquirido novo mobiliário no valor de R$ 12 mil.

A escola municipal atende em tempo integral a cerca de 80 alunos na faixa etária dos 3 aos 5 anos. Com esta reinauguração, a gestão Zenaldo Coutinho chega a 50ª unidade de ensino totalmente climatizada. No início da gestão existia apenas uma escola com condicionador de ar.

Incremento - Os números da área de educação da gestão atual têm demonstrado um crescimento expressivo. De janeiro de 2013 a janeiro de 2020, 18 escolas foram inauguradas. Entre 2013 e 2019, 135 foram reformadas, e para 2020 estão previstas 48 reformas de unidades de ensino municipal.

No sentido de incrementos, a Prefeitura de Belém saltou de dois para uma frota de 47 ônibus escolares, enquanto que o número de escolas em tempo integral cresceu pouco mais de 50%: de 40 para 82 estabelecimentos com perfil de creche.

Ainda de acordo com os números recentes da administração Zenaldo Coutinho, 17 quadras esportivas em escolas de ensino fundamental já foram entregues às comunidades escolares, além de 500 playgrounds investidos na rede municipal, até este momento.

Qualidade de ensino - Obras concluídas, como da escola Professora Angélica do Carmo Santos Paiva, têm colaborado na qualidade do aprendizado e do ensino oferecido. “Esses avanços em infraestrutura destinados a alunos e professores têm colaborado para o crescimento dos resultados da rede municipal, a exemplo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de 2017. Belém foi a terceira dentre as capitais brasileiras que mais cresceu nesse índice, comprovado em estudo divulgado em 2018”, lembrou o prefeito Zenaldo Coutinho.

Reforma e atendimento - Além da climatização de todas as salas de aula e da administração, a escola do Benguí foi submetida a uma reforma geral do telhado.  As obras contaram ainda com a retirada de infiltrações e com pinturas, dentre outros serviços complementares.

Além do atendimento educacional da unidade de ensino, que contempla as séries do Maternal I ao Jardim II, os alunos recebem uma alimentação escolar saudável, todos os dias, organizada por nutricionistas da Fundação Municipal de Assistência do Estudante (Fmae), e preparadas por merendeiras. O cardápio inclui café da manhã, almoço, merenda e jantar.

O prefeito Zenaldo Coutinho agradeceu o empenho de todos os servidores da Prefeitura de Belém pela qualidade no serviço educacional oferecido pela administração municipal. Agradeceu também o envolvimento da secretária municipal de Educação, Socorro Aquino, e de parlamentares como Thiago Araujo (PPS), Mauro Freitas (DC) e Rildo Pessoa (PT do B), também presentes na solenidade de reinauguração.

Inauguração - Integrantes da equipe municipal de governo, pais de alunos, familiares da professora homenageada, além de lideranças dos bairros Benguí, Mangueirão, Carmelândia, Parque Verde e Cabanagem estiveram presentes na reinauguração.

Após a execução do Hino Nacional, desenlace da faixa e descerramento da placa inaugural e os pronunciamentos, o prefeito Zenaldo Coutinho, demais autoridades e integrantes da comunidade visitaram os espaços da escola Professora Angélica do Carmo Santos Paiva.

Reconhecimento - Carla Monteiro trabalha como recepcionista o dia todo, mas agora está em paz, pois sabe que seu filho, Lucas Monteiro, de 4 anos, está matriculado em uma nova escola. “Fico tranquila de deixar meu filho aqui. Ele aprende mais a cada dia. Depois que a escola foi reformada, sentimos grandes diferenças na qualidade de vida do nosso filho. Um ambiente climatizado e bem estruturado acabaram incentivando ainda mais os estudos dele”, apontou a mãe de Lucas.

“Eu e minha amiga estamos muito felizes, ficou excelente este espaço. Nos dá ainda mais estímulo para trabalhar e atender às nossas crianças. É um incentivo receber um local como este aqui”, disse Rai Tavares, de 55 anos, merendeira, com oito meses atuando na escola, mas há 16 anos vinculada aos quadros da Semec.

“Agora está muito bom, com certeza. A estrutura está muito boa, em comparação ao que estava antes. Aqui era muito quente, quando entrava na sala já sentia o calor”, recorda Lana Lima, de 23 anos, mãe da pequena Maria Eduarda, de quatro, aluna do Jardim 2.

Tags

gabinete semec

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder