Tecnologia

Universidade oferece curso gratuito de programação através da Iniciativa Code RunF9

Podem participar jovens e adultos a partir de 16 anos. Não há limite de idade ou escolaridade.

Aprender a programar em um ni´vel ba´sico que permita aos profissionais, por exemplo, a criac¸a~o de sites, aplicativos e lojas virtuais sera´ habilidade imprescindi´vel, assim como o ingle^s e´ nos tempos atuais. Tudo a` nossa volta estara´ conectado e utilizara´ tecnologia, portanto, aprender a programar significara´ entender como tudo funciona e sera´ instrumento ba´sico de trabalho.

Com este objetivo o professor Willys Campos, da Estácio, unidade Doca, idealizou o projeto Code RunF9, “para reduzir o gap de desenvolvedores (as) no mercado de trabalho de tecnologia através do ensino de programação”, segundo ele.

As inscrições estão abertas através do site http://code.runf9.com.br, até 11 de março. Podem participar jovens e adultos a partir de 16 anos. Não há limite de idade ou escolaridade. São 40 vagas, voltados para homens e mulheres. A seleção será feita através da análise da resposta sobre o que motivou a pessoa a aprender sobre programação. O treinamento é gratuito. Todos os módulos do treinamento serão ministrados por desenvolvedores que já atuam no mercado de tecnologia, com supervisão do professor Willys Campos.

Mercado - Existe um déficit de mão de obra qualificada, segundo a Softex, de mais de 400 mil profissionais de TI em 2020 e mesmo que as pessoas não atuem diretamente na área de TI a habilidade de programar computadores já é considerada uma das principais do século, por melhorar o raciocínio lógico, a criatividade e a solucionar problemas de maneira mais rápida. Ainda segundo a Softex, o déficit de profissionais de TI no país deverá superar 408 mil em 2022, ocasionando uma perda de receita de R$ 167 bilhões para o setor no período de 2010 a 2020.

O estudo "Achados e Recomendações para Formação Educacional e Empregabilidade em TIC", da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), afirma que existem atualmente 845 mil empregos no setor de Tecnologia da Informação e Comunicação no Brasil, sendo que a maioria (42,9%) está concentrada em São Paulo. A demanda anual por novos talentos projetada entre 2019 e 2024 está em 70 mil profissionais. Porém, apenas 46 mil pessoas se formam ao ano no Ensino Superior com o perfil necessário para atender essas vagas.

O relatório também elencou as especializações do setor de TIC que serão mais requisitadas a médio e longo prazo, de acordo com a capacitação do profissional:

•    Desenvolvedores mobile: programação em Linguagem Java e conhecimentos de Agile, Design Thinking, UX e Full Stack.
•    Computação na Nuvem: conceituação e Aplicação em Virtualização de Máquina, AWS, Azure, outras.
•    Data Analytics: conhecimentos em Gestão da Informação, Big Data e Ciência de Dados.
•    Segurança Cibernética: entendimento do nível básico ao avançado das ferramentas empregadas na área.
•    Inteligência Artificial: habilidades com redes Neurais, Aprendizado de Máquina, Computação Cognitiva e Algoritmos Avançados.

A Brasscom também ressaltou que a maior demanda do momento é por desenvolvedores mobile com formação Full Stack.

Serviço:

Iniciativa Code RunF9 – curso de programação em computação
Inscrições gratuitas até 11 de março pelo site http://code.runf9.com.br/
40 vagas

Texto: Rosana Pinto

Tags

capacitação Estácio/PA tecnologia

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder

      15 Minutes Ago

      Felipe Lima

      Curso de Unhas de Fibra http://bit.ly/3cynkzd


      • in this conversation
          Media preview placeholder