ASSISTÊNCIA

Representantes do mercado informal são recebidos pelo prefeito de Belém

Um diálogo foi aberto durante a manhã desta segunda-feira, 30, entre representantes do mercado informal da capital e prefeitura de Belém. A categoria foi convidada pelo prefeito Zenaldo Coutinho para debater ações que podem ser executadas pelo município juntamente com a Secretaria Municipal de Economia (Secon) e Fundação Papa João XXIII (Funpapa).

A categoria apresentou uma série de sugestões à gestão, entre elas, a suspensão da cobrança de taxa, entrega de cesta básica, salário, e a lavagem do centro comercial.

“Este momento é de todo mundo se ajudar e eu agradeço muito toda essa proximidade e preocupação que a prefeitura vem demonstrando”, comentou Cesar Noronha, da Associação dos Trabalhadores. “Estamos aqui para dialogar com o poder público e, assim, tentar ajudar os trabalhadores que neste momento já estão passando por necessidades”, completou.

Entre as sugestões da associação, a prefeitura de Belém já adotou a suspensão por três meses da cobrança do pagamento da licença para a utilização do espaço público pelos trabalhadores informais das vias públicas, feiras e mercados municipais.

“Sabemos que hoje nós temos trabalhadores que já estão passando por necessidade, sem ter o dinheiro para se alimentar, e são essas pessoas que precisamos ajudar imediatamente”, destacou Zenaldo Coutinho, garantindo uma ajuda assistencial ainda nesta semana. “Chamei a Funpapa para participar desta reunião justamente para ações imediatas serem tomadas”, disse.

A suspensão do pagamento da licença pelos trabalhadores informais, de acordo com o titular da Secon, Rosivaldo Batista, deve atingir cerca de seis mil trabalhadores cadastrados no órgão.

Os banheiros públicos da capital também serão abastecidos com sabão para a higienização das mãos de trabalhadores e dos moradores em situação de rua. Todos os banheiros, localizados em praças e mercados, não irão cobrar taxas e vão ser monitorados por equipes da Prefeitura de Belém.

Sobre o salário, comentado na pauta dos trabalhadores, há um auxílio de R$ 600 para os trabalhadores, que ainda deve ser votado pelo Senado. Já a lavagem do centro comercial, assim como já vem sendo feita nos terminais, passarelas e no Ver-o-Peso, foi garantida pelo gestor.

O prefeito Zenaldo Coutinho esclareceu, também, que os trabalhadores que não estão cadastrados na associação ou comissão, e não pertencem ao centro comercial da capital, devem receber a ajuda por meio dos Centros de Referência de Assistência Social do município. “Vamos trabalhar para ajudar o maior número de pessoas que conseguirmos”, reforçou Zenaldo Coutinho.
 

Tags

Coronavírus secon

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder