ANIVERSÁRIO

Olympia celebra 108 anos de resistência e valorização do audiovisual

Com muita história para contar, o Cinema Olympia completa nesta sexta-feira, 24, 108 anos de resistência e valorização do audiovisual. E para comemorar, a Prefeitura de Belém, por meio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), exibe nas redes sociais do cinema seis episódios que contam um pouco da sua história. Para conferir, basta acessar as redes sociais do Olympia no Facebook (cineolympiaoficial), no Instagram (cineolympia1912) e no Twitter (cineolympia).
A programação virtual atende ao Decreto Municipal 95.955, de combate à proliferação da covid-19, que não permite aglomerações, uma vez que o aniversário do cinema atrai, todos os anos, muitas pessoas.
"O Cinema Olympia é um ícone cinematográfico, é a casa de exibições de filmes mais antiga em Belém e o mais antigo em funcionamento no Brasil. Em 1912, quando foi inaugurado, era considerado um dos mais luxuosos e modernos. E hoje, além de nos permitir vivenciar durante a exibição de filmes a sensação de volta no tempo com as características arquitetônicas e mobiliários da época, também exibe documentários audiovisuais da nossa região e oferece acesso a programas de ações educativas", revela a Tainá Arruda, diretora de Patrimônio Histórico e Cultural da Fumbel, acrescentando que o cinema foi declarado pela Lei 8.907 de 2012 patrimônio histórico e cultural do município de Belém.
Atualmente, a Fumbel está finalizando o processo de licitação do restauro do Olympia, via financiamento da Prefeitura junto ao PAC das Cidades Históricas/Iphan, com projeto da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb).
Curiosidades - Inaugurado no auge do cinema mudo, depois no período da revolução de 1930 passou a ser cinema sonoro, com a gravação do som na película, que substituiu aos poucos a “orchestra” debaixo da tela que acompanhava as imagens mudas.  
"Para além das transformações cinematográficas, também passou por mudanças significativas nas suas características arquitetônicas. Inaugurado com a fachada principal no estilo art noveau, com inúmeros detalhes, e no seu interior no seu corredor e sala de apresentação com arcos, lustres, colunas, etc., ricamente decorados com motivos florais. Na década de 40, o espaço recebeu detalhes ornamentais no estilo “art deco” e na década de 60 passou pela segunda reforma que lhe trouxe a conformação atual, além de ter aderido estofamento nas poltronas, refrigeração ambiente e tapeçaria", relata Tainá.
O Cinema Olympia está localizado em uma área que respira a Belle Époque, na avenida Presidente Vargas, vizinho às praças da República e das Sereias, ao Parque João Coelho, aos Teatros da Paz e Waldemar Henrique, prédio que hoje abriga o Instituto de Artes da Universidade Federal do Pará, ao Instituto de Educação do Pará (IEP), ao já demolido Grande Hotel, hoje o Hilton Princesa Louça, e ao Bar do Parque.
Público - Com uma programação gratuita e diversificada que vai além dos cartazes comerciais, o Olympia sempre atrai um grande público seja por conta dos projetos como “Cinema e Música”, “A Escola Vai ao Cinema”, “Curta Olympia”, “Cinema Olympia Itinerante” e “A Universidade Vai ao Cinema”, seja pelos festivais que promove.
A professora da rede estadual Débora Saraiva conta que há 15 anos começou sua relação com o cinema com o projeto "A Escola Vai ao Cinema". "Os encontros promovidos entre o cinema e os alunos do IEP renderam bons frutos,  com várias atividades desenvolvidas.  Os alunos vivenciaram uma outra forma de aprender e ampliaram a percepção de mundo pelas experiências subjetivas propostas pelos filmes. É muito importante termos um cinema público que garante acesso à sétima arte. Precisamos preservar o Cine Olympia por mais 100 anos", disse.
Uma frequentadora assídua do cinema é a bancária aposentada Rita de Fátima Sousa, de 69 anos, que é apaixonada por arte. "Desde mocinha sempre gostei de filmes. Para mim é uma terapia. E depois que me aposentei comecei a frequentar mais o Olympia. ‘A Felicidade não se compra’ é um filme que sempre repete no final de ano e adoro. Sempre participei das sessões de aniversário do cinema. A minha relação com o cinema é muito afetiva, gosto de ir lá, fiz muitos amigos e as pessoas são muito atenciosas. Lembro que quando sofri um acidente de carro, um dos amigos foi me visita no hospital e me contou que naquele dia a sessão foi em minha homenagem, desejando uma boa recuperação", contou, emocionada.
Durante a programação virtual, muitas pessoas têm desejado parabéns e relatado sua história com o cinema, nas redes sociais.

Tags

Coronavírus fumbel

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder