RUMO AO ENEM

Cursinho Municipal se reinventa com videoaulas e transmissões ao vivo

Por conta da pandemia de covid-19, 2020 tem sido ano de reinventar muitas atividades. Para quem já não contava com condições de igualdade, a batalha ficou ainda mais difícil, como no caso dos 1.200 estudantes do cursinho Pré-Vestibular Municipal de Belém (PVMB), oriundos da rede pública de ensino e de baixa renda.

Desde a suspensão das aulas determinada pelo Decreto Municipal 95.955, publicado em 18 de março passado, docentes do Cursinho Municipal começaram a interagir com os estudantes por meio de grupos de WhatsApp fornecendo material para estudo.

Paralelamente, o Cursinho preparava um sistema para disponibilizar videoaulas denominado “PVMB em casa – Rumo à universidade” com acesso pelo site da instituição. Um processo demorado, pois professores tiveram que reformular as aulas em home office. No início de abril, o cursinho começou a disponibilizar gradualmente as videoaulas junto com material de apoio e exercícios para os estudantes.

Com mais de 30 anos de experiência em vestibulares, o professor de química Henderson Monteiro (Branco), diretor do Cursinho Municipal, conta que nunca viveu uma situação em que a educação fosse atingida desta maneira. “Está sendo muito difícil para alunos e professores porque é preciso manter o distanciamento e ao mesmo tempo se preparar para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Estamos dando todas as orientações necessárias e disponibilizando videoaulas e material de apoio, mas com muita dificuldade, porque nem todos os alunos têm acesso à internet”, conta o professor Branco.

O professor ressalta ainda, que ainda há tempo suficiente para se preparar e que quando tudo passar, a partir da garantia de autoridades sanitárias de saúde, o Cursinho voltará com todo gás, mas de forma cautelosa, com 40% de atividades presenciais e 60% ainda com videoaulas e material de apoio.

“A experiência dos professores em vestibulares vai contar muito e ser fundamental para que o aluno ingresse numa universidade pública pela porta do Enem. Não adianta encher os alunos de conteúdo. O Cursinho, neste momento, já vai entrar com um planejamento de guerra com aulas no estilo intensivão, pontuando os principais assuntos. E a partir desta estratégia iremos vencer, mesmo com este problema mundial da pandemia, um desafio que nunca ocorreu na área da educação e que fomos pegos de surpresa. Iremos vencer não só o coronavírus, mas entrando na universidade pública, que é o nosso objetivo: ajudar a realizar o sonho desses jovens”, afirma Branco.

Videoaulas - As videoaulas tem duração máxima de 15 minutos e vão acompanhadas do material de apoio. Elas podem ser revistas a qualquer momento. Os alunos ainda podem comentar a aula ou tirar dúvidas na mesma plataforma. A professora de sociologia Paula Ramos, formada há dez anos e que lecionou a primeira vez no Cursinho em 2016, retornando neste ano, conta que ser professora do curso preparatório sempre foi um desafio.

“Os alunos são pessoas que estão num momento que eles querem tomar o rumo deles. É uma grande responsabilidade ajudar essas pessoas a entrar numa universidade. E o processo da videoaula me pegou de surpresa, porque não achei que seria duradouro. E logo me preocupei com a linguagem interativa, porque as redes sociais são canal mais de entretenimento, e em como tornar interessante para o aluno o conteúdo do Enem, possibilitando problematizar as situações. Para mim está sendo muito importante pelo aprendizado de uma nova didática utilizando a internet de forma educativa. Estamos nos esforçando para garantir um conteúdo ao nosso aluno, porque o Cursinho sempre teve aprovação máxima em vestibulares. É um orgulho para a gente”, disse ela.

Nesta terça-feira, 26, o Cursinho Municipal fez a primeira transmissão ao vivo para os alunos com a aula de redação da professora Sueanne Freitas. Durante a aula os alunos iam fazendo perguntas pelos grupos de WhatsApp e a professora, que é também coordenadora do Cursinho, ia respondendo na mesma hora. A aula ficou disponível para os alunos reverem o conteúdo.

Estudantes – Nada se compara à aula presencial, mas a partir dos esforços do Cursinho Municipal os alunos começaram a ficar mais motivados ao retomar a rotina de estudo. O estudante José Victor Almeida, de 20 anos, que deseja cursar Engenharia da Computação, vem se preparando há quatro anos para entrar na universidade e conta que com a pandemia veio um sentimento de incerteza, mas que agora começa a mudar.

“Eu já estava triste, porque ano passado estudei muito e não passei. E este ano, ao mesmo tempo, que retomei os estudos estava aguardando a repescagem da universidade. E com a pandemia, foi devastador. Me desmotivou muito. Mas a ideia de ter uma videoaula é muito boa. São vídeos curtos bem dinâmicos. Gostei muito da aula ao vivo com a professora Sueanne. A aula dela é muito rica”, diz o aluno, que fez a inscrição do Enem na primeira semana e ficou feliz com a prorrogação. “É o mínimo que o Ministério da Educação poderia fazer para minimizar o prejuízo ao aluno da rede pública, que é uma realidade diária. Eu só vim ter aula de redação no cursinho”, conta Victor, que mora na Marambaia com mais sete pessoas da família, que atualmente só contam com a aposentadoria do avô e do tio para se manter.

Olinda Cardoso, de 17 anos, quer estudar Relações Internacionais ou Direito e vai fazer pela primeira vez o Enem. “As aulas foram bem elaboradas e vão servir neste momento. É bem fácil de assimilar o conteúdo. Além do auxílio do material de apoio. A professora Sueanne é impecável na explicação e conseguimos fazer perguntas na hora”, que já vinha estudando também com pesquisa na internet.

Dicas - Sabendo da realidade de muitos alunos da rede pública que não tem acesso a internet, o professor Branco dá algumas dicas para driblar esta situação. “O candidato precisa buscar ferramentas que possa ter em casa, como livros e cadernos dos anos anteriores, pedir ajuda aos amigos e fazer um planejamento voltado ao Enem. Dentro da minha experiência, a Redação e a Matemática são as provas de maior pontuação. São 45 questões de matemática em que 70% são de conteúdo do ensino fundamental. E na Redação é preciso sempre rever as cinco competências e as orientações dos professores. Os desafios virão e esse é mais um deles que será vencido”, destaca com professor, que lembra exemplos de alunos da área rural que enfrentaram dificuldades e passaram em cursos mais concorridos, como Medicina.

Tags

Coronavírus Cursinho Pré-Vestibular

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder