FISCALIZAÇÃO

Comerciantes e ambulantes descumprem medidas previstas em decreto

Apesar das inúmeras ações de fiscalização de orientação  que vêm sendo realizadas desde o dia 20 de março, após a vigência do primeiro decreto municipal, que determina o fechamento de estabelecimentos considerados não essenciais durante a pandemia, dezenas de ambulantes e comerciantes descumpriram as medidas do decreto nesta quinta-feira, 28.

No bairro do comércio, mais de 15 lojas e ambulantes foram flagrados pela fiscalização. Bancas de ambulantes, lojas de roupas, calçados, assistência de celular, cosméticos e óticas, estavam recebendo clientes mesmo com as portas abertas pela metade. "As lojas e bancas de camelôs que foram encontradas abertas também foram orientadas e fechadas, e os estabelecimentos reincidentes foram notificados”, destacou Michel Bittencourt, da Ordem Pública.

Quando um estabelecimento, considerado não essencial, está de portas abertas, o fiscal orienta o responsável e notifica o estabelecimento e, se houver reincidência, o local é multado. A multa por descumprimento pode chegar a R$50 mil.

Além do Comércio, guardas municipais fiscalizaram os bairros do Barreiro e Telégrafo, onde 18 estabelecimentos foram fechados por desrespeito. “Estamos fazendo um trabalho permanente e incansável para que possamos conscientizar e fazer com que a população compreenda que o funcionamento das atividades comerciais é somente para serviços essenciais, e, ficar em casa, em isolamento social, é o recomendável”, declarou o GM Paulo Vitor.

Com base no decreto municipal, locais autorizados que tenham grande circulação de pessoas e aglomeração também devem ser fiscalizados  e orientados, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para combater a disseminação do novo Coronavírus.

A fiscalização da GMB não se concentra apenas nos estabelecimentos não essenciais, os grupamentos da Guarda Municipal de Belém fazem ação em supermercados, feiras livres, verificando a lotação permitida. As agências bancárias também passam por organização e orientação sobre o distanciamento entre as pessoas nas filas e o uso obrigatório de máscaras. "Se tem irregularidade ou denuncia pelo 153, a gente vai lá e toma as providências para que o decreto seja cumprido. Verificamos as lojas , que estão permitidas pelo decreto, para ver se elas estão cumprindo as normas de distanciamento e o uso de máscaras", complementou Vitor

As ações do Comitê de Segurança Municipal, que tem a participação da Guarda Municipal de Belém, Ordem Pública e Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (SeMOB) seguem até a vigência do decreto.
 

Tags

Coronavírus guarda municipal semob

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder