Economia

Governo anuncia o Retoma Pará com abertura gradual de atividades econômica

Em coletiva de imprensa realizada no final da manhã de hoje (29), o governador do estado, Helder Barbalho, apresentou o projeto de retomada econômica no Pará. A ação será feita de forma gradativa, controlada, monitorada e com transparência. Às sextas-feiras será divulgado um balanço dos números de incidência viral e a capacidade de resposta do sistema de saúde. Os avanços ou regressões no processo de retomada serão baseados nesses números. Confira os principais pontos  da retomada:

Embasamento – Servirá como base a avaliação diária da disseminação da doença, o cenário de evolução epidemiológico, o impacto nos grupos de risco e a capacidade do sistema de saúde para atender a população, a partir da quantidade de leitos, UTIS, EPIs e profissionais. De acordo com a capacidade de testagem e monitoramento da transmissão em cada região, será definido estratégias para reforço da estrutura, como policlínica itinerante, oferta de profissionais e medicamentos, ampliação de leitos, entre outros.

Abordagem regional - O projeto terá uma abordagem regional, portanto, as medidas não terão repercussão em todo o território, mas sim específicas para cada região. Estas serão classificadas em zonas e cada zona por uma bandeira com determinada cor, que sinalizará a capacidade da referida região de avançar no processo de reabertura das atividades ou se há necessidade de regredir.

Zonas – a definição de cada zona será a partir da avaliação dos eixos: capacidade de resposta do sistema de saúde e taxa de contaminação. As zonas serão classificadas como risco baixo, médio e alto. A Região Metropolitana de Belém, Baixo Tocantins e do Araguaia estão classificadas como risco médio, que permite a reabertura com restrições de parte do comércio de rua, shopping centers, indústria, construção civil, escritório, salão de beleza, entre outros. As regras quanto ao funcionamento destes segmentos serão disponibilizadas no Diário Oficial na próxima segunda, 1º de junho. Todas as demais regiões apresentam risco alto, com a manutenção apenas das atividades essenciais.

Protocolos – construídos com contribuições das principais atividades econômicas do estado, prevê medidas de higiene, funcionamento, horário para cada setor, entre outros, com objetivo de evitar exposição dos trabalhadores e consumidores. O governo implementará um protocolo geral, válido para todos os segmentos que retornarem à atividade, que prevê uso de máscara, higienização das mãos, estimulo ao trabalho remoto, limitação de visitas e clientes de acordo com o tamanho do estabelecimento, entre outros. Somado a essas medidas, cada segmento terá seu protocolo específico.

Economia - Na coletiva, Helder refutou a possibilidade de criação ou aumento de impostos para recuperar a economia do estado, tendo em vista que o estado teria dinheiro em caixa. Mesmo com a perda de 10% na arrecadação, o governador informou que a manutenção das atividades de mineração e agronegócio, somada a alta do dólar, teria amenizado os efeitos da pandemia.

Baixe aqui a íntegra do projeto.

Tags

Coronavírus Economia governo do pará

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder