FISCALIZAÇÃO

Comitê de Segurança retira 75 veículos do Portal da Amazônia no feriado de Corpus Christi

Agentes do Comitê de Segurança do Município fiscalizaram nesta quinta-feira, 11, feriado de Corpus Christi, o cumprimento ao Decreto Municipal 96.378, que permite a reabertura dos serviços não essenciais. Para a Elizete Cardoso, coordenadora da Ordem Pública Municipal, pessoas estão se confundido e achando que os espaços de lazer, como o Portal da Amazônia e as praças públicas, estão liberados para a circulação de pessoas para exercício físico ou passeios.

A fiscalização deste feriado foi até as 23h e foram retirados do Portal 75 veículos entre carros e motos. Houve 15 autuações de trânsito, mais de 200 pessoas foram orientadas a voltar pra suas casas, uma pessoa foi autuada por não usar a máscara, item obrigatório, e cinco bares foram  fechados na rua Osvaldo de Caldas Brito.

"Não há mais tempo de conscientizar. O Portal já está fechado há algum tempo para evitar aglomeração. E como as pessoas viram que alguns espaços já foram abertos, elas acreditaram que está tudo liberado. E não está", alerta Elizete.

O Comitê de Segurança do Município, formado pela Ordem Pública Municipal, Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (SeMOB) e Guarda Municipal de Belém (GMB) começou a fiscalização às 18h, horário que geralmente há uma maior concentração  de pessoas.

"Tem que ter rigor porque senão a população não vai entender. O comitê está aqui para garantir o cumprimento do decreto para que a pandemia não se reinstale", disse a coordenadora da Ordem Pública.

Cerca de 20 agentes percorreram a orla do Portal da Amazônia fiscalizando toda sua extensão, que continha um número alto de veículos estacionados e consequentemente de pessoas circulando pelo espaço. Moradores de outras regiões distantes da cidade e visitantes do interior do estado também estavam por lá.

O instrumentador cirúrgico Vander Amaral Ribeiro, morador do bairro da Condor, é frequentador assíduo do Portal. Ele lembra que sempre praticava atividade física no espaço, mas desde março parou de frequentar o local porque as pessoas não estavam respeitando o distanciamento social. Nesta quinta ele disse que resolveu retomar as atividades porque achava que já estava liberado, mesmo tendo visto as barreiras de bloqueio de acesso.

"Na verdade, só vi a barreira. Mas não vi ninguém informando. Tem muita movimentação. Concordo que é preciso manter toda a segurança. Hoje (quinta) já tem gente demais, não sei se é por causa do feriado. Como vi a fiscalização, vim me informar se está proibido, porque tem muita gente andando sem máscara aqui", disse.

O morador do conjunto habitacional que fica próximo do Portal da Amazônia, Diego Medeiro Dias, 34 anos, técnico de celular, confirma que a maioria das pessoas que insistem em visitar o espaço são de outros bairros da cidade. Ele costuma se sentar na frente do condomínio com a família e vem acompanhando a movimentação no Portal.

"As pessoas estão direto aqui e hoje (quinta) com a fiscalização que eles saíram. Daqui quase ninguém frequenta, é mais de fora, vem muito carro. A gente fica preocupado porque já teve gente que faleceu de coronavírus na vizinhança. Com a fiscalização funciona e as pessoas não vêm", disse.

No Portal da Amazônia há um posto fixo da Guarda Municipal de Belém que funciona 24 horas e ganha reforço nos finais de semana. A SeMOB faz rondas diárias no local.

Desde o final de abril o espaço teve os acessos fechados por blocos de concreto para barrar a circulação de pessoas e assim evitar aglomerações. A medida cumpre o que determina o Decreto Municipal nº 95.955, de combate à proliferação da Covid-19.

Foi liberada apenas a circulação de veículos oficiais, como viaturas e ambulâncias, a entrada de moradores da área e ônibus que fazem aquele itinerário. O acesso na entrada principal está fechado, a entrada pela rua dos Mundurucus com a rua dos Tamoios permanece fechada e os ônibus entram e dobram pela rua Osvaldo Cruz.

Autuações - Antes de chegar ao Portal, o comitê esteve em uma denúncia de aglomeração em um bar na rua Nelson Ribeiro com a passagem Frederico, que foi fechado. Cinco pessoas foram autuadas por não estarem de máscara. Em frente à praça do Relógio, um ambulante também foi notificado por vender bebida alcoólica e gerar aglomeração. "A gente não se limita só num local, porque a gente anda pela cidade e onde houver algo errado o comitê atua", finalizou Elizete Cardoso.

Tags

Coronavírus guarda municipal Ordem Pública semob

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder