Sustentabilidade

Compostagem doméstica auxilia descarte correto de resíduos

Cerca de 37 milhões de toneladas de lixo orgânico são produzidos por ano no Brasil

O descarte incorreto de lixo é um problema que envolve todo o Brasil.  De acordo com o a Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, cerca de 37 milhões de toneladas de resíduos orgânico são produzidos todos os anos. Ainda de acordo com a pesquisa, somente 0,45% dos substratos produzidos são reaproveitados no Pará.A iniciativa de contribuir para a redução dos impactos ambientais pode começar em casa. A compostagem é uma alternativa fácil e barata que pode ser feita em qualquer ambiente. De acordo com a professora do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da Faculdade UNINASSAU Belém, Miroslawa Luczynski, o processo transforma o lixo orgânico em adubo. “O processo transforma essa matéria orgânica e descartada no lixo, em adubo natural. O material pode ser usado na agricultura, em jardins e plantas, substituindo o uso de produtos químicos. Pode ser feita em grande escala ou em casa, além de ser uma destinação final para este tipo de resíduo”, explicou.

A professora afirma que qualquer pessoa pode começar a fazer uma composteira. “É necessário ter os resíduos corretos, que podem ser restos vegetais como galhos, folhas, raízes ou cascas de frutas e excremento, em menor escala. Com isso, aprende-se a observar melhor o que se compra em excesso, contribuindo para um consumo mais responsável. Quanto ao meio ambiente, a compostagem contribui no reaproveitamento de resíduos, não causando, assim, poluição e nem descarte de forma inadequada”, declarou.

Outro aliado importante é a coleta seletiva que contribui no processo. “A compostagem é uma forma de destinação final para os resíduos, mas existem outras como, por exemplo, a coleta seletiva, que também pode ser fazer em casa e é primordial para a destinação final correta desses resíduos. Pode-se fazer os dois, compostagem e coleta seletiva, dessa forma se estaria contribuindo de forma positiva para com o meio ambiente”, completou.

Atualmente, os alunos do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da UNINASSAU desenvolvem trabalhos práticos como produção do projeto de composteira doméstica e o Biodigestor assim como a coleta seletiva. A atividade faz parte das disciplinas Tópicos Integradores III e Estágio Supervisionado, ministrado pela professora Miroslawa Luczynski.

Tags

lixo Meio Ambiente sustentabilidade UNINASSAU

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder