Perigo

Pipas com "Linha Chilena" são proibidas e podem causar acidentes com mortes

O ato de empinar pipas, de brincadeira pode se transformar em caso de polícia

O verão amazônico chegou na região Norte, e com ele os céus se colorem com as pipas, que mesmo em tempos de pandemia e distanciamento social pela pandemia do novo coronavírus, não deixam de serem empinadas por crianças, jovens e adultos.

A brincadeira já faz parte do cenário de Belém e distritos nessa época do ano. Mas a brincadeira pode se transformar em transtornos, acidentes e mortes, devido ao ato de serem empinadas com linhas com cerol.

A situação ficou ainda mais complicadas com a chegada das linhas Chilenas enceradas com quartzo moído, algodão e óxido de alumínio que podem causar acidentes com morte, e são proibidas em Belém, segundo a Lei Nº 9455, de 29 de abril de 2019.

O repositor André Pereira, 43, levou um grande susto ao trafegar de moto pela Cidade Nova, em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém, na semana passada. Ele conta que uma linha de pipa, do tipo Chilena, engatou na moto quando trafegava pela Arterial 18.

“A linha engatou na moto, e só não me cortou porque eu instalei dois ferros na frente da moto já prevendo esse tipo de acidente, mas mesmo assim, ainda feriu meu braço”, relatou. Segundo ele, se não fossem os ferros poderia ter acontecido coisa pior.

“Já vi pessoas que tiveram o pescoço cortado por esse tipo de linha Chilena. É uma brincadeira perigosa".

No último final de semana em Salinópolis, nordeste do estado, o segurança Dênis Pantoja, 38, foi comprar em um quiosque, uma pipa para o filho dele, e o garoto queria também linha para empinar o brinquedo.

O vendedor, além de pipas vendia também linhas enceradas. Mas ele alertou que as Chilenas eram perigosas. “Essas são só pra quem sabe usar. Os empinadores cobrem os dedos com esparadrapos para não se cortarem com o cerol que é muito forte”, alertou.

Lei – A Lei municipal acima citada "Proíbe e o uso do cerol (vidro moído e cola); proíbe também a venda da linha encerada com quartzo moído, algodão e óxido de alumínio, conhecida como "Linha Chilena", ou de qualquer produto similar utilizado no ato de empinar pipas, que contenham elementos cortantes", mas não prevê penalidades para quem comercializa esses produtos.

O cerol é uma substância bastante perigosa e tem trazido uma série de transtornos, especialmente nos períodos de férias.  Os mais atingidos são motociclistas e ciclistas.  O material é capaz de provocar lesões, mutilações ou pior ainda, causar a morte.  

O cerol   tem   sido   cada   vez   mais incrementado. Antes era feito de vidro moído ou triturado e o pó misturado à cola de madeira, que posteriormente era aplicado nas linhas de pipas.

Ultimamente tem sido usado pó de ferro, cujo poder de corte da linha é mais eficiente, porém, em casos de acidentes com o produto as lesões são maiores e profundas.

Dependendo da gravidade da lesão ou do local do corte o óbito pode ser instantâneo, sem chance de socorro para a vítima. Trata-se enfim, de verdadeira substância perfuro-cortante (arma branca).

Tags

Linhas Chilenas Pipas Verão Amazônico

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder