SAÚDE

Agosto Dourado promove incentivo ao aleitamento materno

Além de um ato de amor, a amamentação é uma profunda conexão entre mãe e bebê. Para celebrar este ato, o Ministério da Saúde reforça os benefícios do leite materno, por meio da campanha Agosto Dourado. A Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) também reforçará a campanha no município, por meio de videoconferência, capacitando os servidores da rede pública.

A cor dourada da campanha, simboliza a luta pelo estímulo à amamentação e está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno, que ajuda a formar crianças mais saudáveis, pois ele é natural, renovável e ambientalmente seguro. “A forma natural de amamentar a criança gera menos desmatamento para reprodução de pastos e leite, produções de plásticos de mamadeiras, sem contar com o aumento do vínculo de amor entre a mãe e o bebê”, declara a coordenadora da Referência Técnica em Saúde da Criança e do Adolescente da Sesma, Andreza Sena.

De acordo com a Sociedade Paraense de Pediatria (SOPAPE), em 1995, a Sesma, juntamente com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), fez um estudo na capital e encontrou uma taxa de 3,8% de aleitamento materno exclusivo com bebês até seis meses, enquanto que, entre as crianças inscritas no Programa de Aleitamento Materno Exclusivo (PROAME) a taxa era bem maior, de 62,9%, o que levou a Prefeitura de Belém a ampliar a implantação do programa nas Unidades Municipais de Saúde (UMS's).

O PROAME é desenvolvido em 14 Unidades Municipais e em 17 Estratégias Saúde da Família (ESF) da capital, conduzido por enfermeiras, técnicas de enfermagem, nutricionistas e médicos, que ensinam a melhor posição para a amamentação e orientam sobre o consumo exclusivo do leite materno até que a criança complete os seis meses de vida. Esta iniciativa deixou a capital entre as cidades do país com um dos maiores índices de amamentação materna.

“Durante o período de seis meses, se a criança estiver sendo amamentada corretamente, ela não precisa nem beber água, já que o leite materno possui todos os nutrientes necessários para o bom desenvolvimento do bebê, criando anticorpos naturais, proporcionando energia, ajudando a prevenir a fome e a desnutrição”, confirma Andreza. 

Belém também conta com duas salas de coleta de leite humano nas Unidades Municipais de Saúde do Benguí II e do Providência. As doadoras recebem orientações de como ordenhar e deixar o leite para amamentar as crianças necessitadas. Todo o leite coletado é doado para a Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará.

Homenagem – Em 2019, a Câmara Municipal dos Vereadores de Belém homenageou a equipe de profissionais da UMS Providência pelo desenvolvimento do projeto de coleta de leite materno na unidade. “O trabalho que desenvolvemos é em um espaço humanizado, em uma sala acolhedora e confortável que tem as portas abertas, com materiais educativos para mães que tem dificuldade na amamentação. Também recebemos a doação de frascos apropriados, além dos leites doados pelas mãezinhas que se propõem a ajudar as outras com problemas em produzir o leite para seus bebês”, explicou a enfermeira da unidade, Juliana Benjamim.

Através da sala de valorização do leite materno da UMS Providência, foi criado o grupo AME de mães doadoras e lactantes, que neste momento de pandemia, está funcionando via WhatsApp. Brevemente o encontro deve voltar a ocorrer, desta vez com número reduzido de participantes.

Serviço: As doações de leite materno na UMS Bengui II estão temporariamente suspensas devido a pandemia da Covid-19. Na UMS Providência, a previsão de retorno é partir do dia 10 deste mês. As mães também recebem orientações nas unidades se preferirem realizar com o processo em sua própria residência.

Mais informações:
UMS Providência - Av. Norte, S/N - Val de Caes, Belém – PA
UMS Bengui II - Passagem Maciel S/N - Bengui, Belém – PA
 

Tags

sesma

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder