EDUCAÇÃO

Semec promove formação de educadores para o retorno das aulas presenciais

Para preparar educadores, alunos e responsáveis para o possível retorno das aulas na rede municipal de ensino, previstas para o início de setembro, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) está promovendo nesta semana de, 3 a 7 de agosto, a formação de gestores da educação infantil e diretores do ensino fundamental das 203 escolas do município. 

As aulas estão suspensas desde março pelo decreto municipal de combate a proliferação do novo coronavírus.

Educação Infantil – Com o tema “Diálogos formativos com gestores: Gestão estratégica das atividades pedagógicas presenciais”, 130 educadores estão sendo orientados durante a formação, sobre a preparação do espaço físico de acordo com as medidas sanitárias determinadas pelo decreto municipal; sobre a acolhida de professores e alunos; a escuta de responsáveis para a concordância do retorno dos filhos às aulas; estratégia de atendimento às crianças e, como sanar as dúvidas referente ao assunto.

Como medidas de prevenção ao novo coronavírus, a rede de ensino adquiriu, desde o mês de junho, tapete sanitizante; termômetro de testa infravermelho; dispenser de álcool em gel; pias com água e sabão; pulverizadores; máscaras para professores e alunos, e cartilhas de boas práticas de higienização. Inicialmente, a rede municipal adotará o sistema híbrido, que funcionará em dias alternados da semana, com 50% de alunos presencialmente e 50% à distância por meio do programa Educa Belém – Aprendendo em casa, transmitido pela RedeTV, canal 47, que é direcionado ao ensino fundamental e por meio de atividades remotas impressas para educação infantil.

O novo protocolo de retorno das aulas atende às diretrizes dos órgãos de saúde, a partir dos dados epidemiológicos apresentados pelo Comitê Municipal de Saúde. “Este mês estamos realizando a Jornada Pedagógica para que os profissionais da educação saibam receber as famílias neste momento específico, para que elas se sintam seguras com a previsão do retorno gradual das aulas. Na escuta com os pais, eles colocam essa preocupação e a gente respeita. Mas a prefeitura está preparando as escolas para receber as nossas crianças. E mesmo que uma criança não volte, por ser do grupo de risco ou porque o pai está inseguro, ela continuará tendo o apoio remoto”, afirma Célia Pena, coordenadora da Educação Infantil da Semec. 

Para a gestora Nazaré Fonseca, responsável pela Unidade de Educação Infantil Casa da Criança Santa Inês, localizada no bairro do Marco e que atende 112 crianças. “Esse momento é de comunicação para orientarmos os pais porque sabemos que precisamos retornar as atividades normais e os espaços estão sendo preparados para a segurança da criança. Muitos pais já estão ansiosos pelo retorno e pela necessidade de ter que voltar a trabalhar. É uma minoria que ainda tem receio”, disse.

Ensino Fundamental – A formação de diretores foi realizada em vários espaços conforme a zonal regional das escolas. Com o tema “Orientações Gerais para a retomada das atividades presenciais nas Unidades Escolares da RME – Belém no contexto da Pandemia de COVID-19”, a reunião destacou o protocolo de higiene nas escolas; planejamento administrativo e pedagógica; fortalecimento do trabalho remoto; formação de professores de forma online; atendimento da educação especial e aproximação das escolas com a comunidade.

Evaldo Ferreira Rodrigues, professor formador do Centro de Referência em Inclusão Escolar Gabriel Lima Mendes falou sobre sensibilidade neste momento com o atendimento de estudantes com deficiência. “A gente deve ter cuidado no retorno dos alunos, porque o público da educação especial, além de apresentar a deficiência, muitos ainda são do grupo de risco. No caso de impossibilidade do retorno do aluno, as atividades não vão parar, vão ser propostas as atividades remotas para garantir  o acesso e a aprendizagem que é um direito de todo aluno. Já fizemos uma reunião para atualizar a demanda de alunos e verificar quem vai retornar e quem não vai. Precisamos levantar os motivos do não retorno e garantir até o final do ano o atendimento com os alunos”, reforçou.

Edney da Silva Alves, coordenador pedagógico da Unidade Escolar Nazaré, anexo da Escola Milton Montes, localizada na Ilha do Combu, que atende 66 crianças de 4 a 12 anos, do jardim I até o 5º ano, relata que os pais já estão ansiosos para a volta às aulas. “Na ilha já estamos com diálogo com as famílias e realizamos um levantamento para saber quem já teve a Covid-19. A escola já está preparada para receber os alunos. A gente percebe nos grupos de whatsapp que as famílias estão ansiosas”, disse.

Protocolo – Professores vão receber os alunos na porta da escola, verificam a temperatura do aluno com um termômetro de testa infravermelho e, então, liberam sua entrada. O aluno terá que higienizar os sapatos no tapete com hipoclorito e as mãos com álcool em gel ou água e sabão. Depois, ele será conduzido à sala de aula obedecendo ao distanciamento entre as cadeiras. No intervalo, o aluno será conduzido ao refeitório e também precisará manter o distanciamento. Cada aluno deverá levar a sua garrafinha para abastecer no bebedouro e após ir ao banheiro, lavar as mãos. As aulas de educação físicas serão em sala de aula com atividades teóricas ou individuais. Após a aula, os professores entregarão os alunos aos seus responsáveis na porta da escola.

“Essa reunião é para reorganizar as ações pensadas e estudadas pelo núcleo de formação da Semec para que os gestores e diretores sejam agentes multiplicadores junto à comunidade escolar. É uma retomada diferente, mas com qualidade. Se assim for autorizado o retorno com base no relatório epidemiológico que o prefeito está aguardando do Comitê Municipal de Saúde”, reforça Ana Célia Carvalho, diretora de Educação da Semec.
 

Tags

Coronavírus semec

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder