EDUCAÇÃO

Dia do profissional da educação é comemorado com indicadores positivos no município

Nesta quinta-feira, 6, quando se comemora o Dia Nacional dos Profissionais da Educação, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec), comemora o avanço na educação municipal com indicadores positivos na queda da evasão escolar e na reprovação de alunos. Para a secretária municipal de educação, Socorro Aquino, os dados são reflexo do esforço que a Prefeitura tem feito investindo na infraestrutura, projetos pedagógicos e na equipe de profissionais das escolas.

De acordo com a pesquisa feita pelo Ministério da Educação, por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, realizada entre os anos de 2103 a 2019, aponta que a taxa de reprovação dos Anos Iniciais (1º ao 5º ano), diminuíram 51%. E a taxa de reprovação dos Anos Finais (6º ao 9º ano), diminuiu 43%. No índice de abandono escolar nos Anos Iniciais constatou uma queda de 65,6% e nos Anos Finais o percentual negativo foi de 64,7%. 

“Percebemos com esse resultado, de queda do abandono e reprovação escolar, que conseguimos atrair muitos alunos para rede pública municipal e conservá-los. Isso se dá pelo investimento que temos feito na infraestrutura das escolas com construções de prédios novos e reformas, na merenda escolar de qualidade – que já ganhou prêmios regionais, e na capacitação de professores. Também acreditamos que uma educação de qualidade não é transmitida apenas pelo corpo docente, mas também pelos profissionais não docentes, como o apoio administrativo, merendeiras, porteiros, secretárias, zeladores, que compõe a equipe técnica pelos diversos setores da escola e fazem parte do processo educacional, assumindo também o papel de educador e ajudando a preservar o patrimônio escolar”, explicou Socorro Aquino. 

Infraestrutura – Dados da Semec, revelam que entre os anos de 2013 a 2020, 26 escolas foram construídas e inauguradas, 17 ampliadas, 22 quadras esportivas foram construídas e cerca de 180 escolas já passaram por grandes reformas. Somente no primeiro semestre de 2020, a Prefeitura já entregou 14 escolas novas para população – sete construídas ou totalmente reformadas e sete alugadas. Além disso, 55 escolas foram totalmente climatizadas e 20 estão em processo a climatizar. 

Projetos – Além do investimento estrutural, também são realizadas atividades educacionais às crianças com deficiência, desenvolvidas nas Salas de Recursos Multifuncionais das escolas, ações de saúde nas escolas, combate ao bullying, direitos da criança e do adolescente, turismo, leitura, dança, entre outras atividades que são abordadas por meio de projetos como Lendo e Relendo, Conserto Didático, Turismo na Escola, Horta nas Escolas, Inocência Roubada, Bem-Aventurados, Alfabetização em Movimento, Força no Esporte, Capoeira nas Escolas, Informática Educativa e o Cantar-o-Lar.

“Esses projetos desenvolvidos pela Secretaria dentro das escolas têm o objetivo de qualificar professores e alunos da rede municipal de ensino, primando pela educação de qualidade do município, oferecendo a oportunidade de socializar saberes por meio das apresentações de diversas ações educativas que envolvem pais, estudantes e comunidades. Um dos destaques no momento é o Projeto Educa Belém – Aprendendo em Casa, que tem como objetivo atender aulas remotas durante a pandemia da Covid-19”, disse Ana Célia Carvalho, diretora de educação da Semec.

Formações – E para que esse ensino tenha qualidade, os profissionais da educação municipal passam uma vez por mês no Centro de Formação de Professores (CFP), para reciclarem e adquirirem novos conhecimentos. Lá são desenvolvidas capacitações sobre todas as disciplinas ministradas em sala de aula e outros temas, como práticas de alfabetização, saúde na escola, educação ambiental e outras formações. 

Em média, cerca de 700 profissionais da educação, entre professores, coordenadores pedagógicos e diretores, passam pelo Centro de Formação, por ano. “A formação continuada de professores na Rede Municipal de Ensino de Belém favorece a constante reflexão, a troca de saberes e o aprimoramento da prática pedagógica. Contribuindo assim, para o desenvolvimento da qualidade da educação pública”, ressaltou Karina Bordalo, coordenadora e professora formadora do Centro de Formação de Professores.

As escolas municipais também desenvolvem o ensino aprendizagem de cerca de 2 mil alunos com deficiência matriculados na rede, que também receberam investimentos nas Salas de Recursos Multifuncionais dentro das escolas. Em 2013, havia 33 salas, hoje existem 67 salas para trabalhar o desenvolvimento da educação especial, com professores especializados na área.

De acordo com a coordenadora da Educação Especial do Centro de Referência de Inclusão Educacional (Crie), Denise Costa, o trabalho dos profissionais da educação especial dentro das escolas é realizado com muita dedicação, paciência e capacitações. “Nós fazemos o diferencial por meio dos projetos e instrumentais pedagógicos voltados para o atendimento educacional especializado, que são articulados pela nossa equipe multiprofissional”, explicou Denise.

Transporte - Além das escolas com a acessibilidade, outro avanço na educação, que cooperou na queda da evasão escolar, foi o aumento do número de transporte escolar. Em 2013, havia apenas dois ônibus, hoje os alunos do município contam com 48 ônibus escolares. “Ser motorista de transporte escolar é ajudar a viabilizar nesse processo educacional dos alunos. Muitos moram em lugares de difícil acesso e eu me sinto feliz por ajudar nesse acesso à educação por meio do transporte”, disse Silvana Araújo, motorista de transporte escolar.

Merenda – Outro atrativo dos alunos que ajudou nessa queda da taxa de reprovação e evasão é a merenda escolar saudável os mais de 74 mil alunos da rede recebem todos os dias nas escolas. Para que a merenda tenha qualidade, todos os anos, as merendeiras da rede passam por cursos para formação e prática de gastronomia, organizados pela Fundação Municipal de Assistência ao Estudante do Município de Belém (Fmae).

“Meu trabalho como merendeira é muito importante, pois alimento as crianças para que tenham um rendimento melhor nos estudos. Eu fico muito feliz quando eles me falam ‘tia, sua comida tá muito gostosa’. Isso me deixa emocionada porque faço a comida com muito amor. O papel da merendeira também contribui para educação, pois estamos educando o paladar das crianças na construção do hábito alimentar saudável e isso reflete na memória afetiva delas”, contou a merendeira Maria Andrelina dos Santos. 

De acordo com Socorro Aquino, professores, diretores, coordenador pedagógico e funcionários como motoristas de transporte escolar, porteiros, secretários, inspetores, merendeiros e auxiliares de limpeza, todos os profissionais que fazem parte da rede municipal de educação, trabalham como uma equipe e garantem a aprendizagem dos alunos. “Esse conjunto de pessoas define responsabilidades e objetivos, garante a formação para todos, constrói um ambiente colaborativo e desenvolvem a educação escolar”, concluiu a Secretária, Socorro Aquino.
 

Tags

semec

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder