Dia do Acompanhante Hospitalar

O protagonismo do acompanhante hospitalar na recuperação de pacientes

Especialistas destacam os benefícios de um suporte afetivo durante o período de internação

Compreender a importância de um acompanhante hospitalar no processo de internação é fundamental no que se refere à recuperação de pacientes. A presença de uma pessoa que possa oferecer um suporte afetivo faz parte da recuperação e traz diversos benefícios.

No Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), gerenciado pela Pró-Saúde em Belém (PA), especialistas destacam o papel do acompanhante e ressaltam o trabalho conjunto exercido no cuidado e acolhimento.

“Os acompanhantes atuam como protagonistas no apoio ao paciente durante a internação. Eles são acolhidos pela equipe psicológica do Hospital Galileu e recebem o suporte emocional sempre que necessário”, explica a psicóloga, Camila Oliveira.

Além disso, em alguns casos, os pacientes precisam de cuidados especiais e o apoio de uma pessoa da família ou de sua convivência torna a assistência traz mais conforto emocional, reiterando a importância desta comApós sofrer um acidente de moto no município de Primavera, oeste do Pará, Gleyson José foi transferido para o HPEG e passou por uma cirurgia no joelho. Internado desde o dia 1° de agosto, o vendedor conta com o apoio integral de Laryssa Loureiro, sua esposa e mãe de seus dois filhos.

“Em alguns momentos, ele fica desanimado e eu tento ajudar dando apoio emocional e, em algumas atividades, auxilio em idas ao banheiro ou para se vestir. Tenho certeza que, com a minha presença, ele se sente mais à vontade”, ressalta Laryssa, que fica ao lado do marido durante 24 horas por dia.

Os cuidados com a saúde mental do acompanhante

Para a psicóloga Lohana de Paula, é importante criar formas para aliviar o estresse emocional do acompanhante hospitalar durante a nova rotina.

“Orientamos o acompanhante sobre a necessidade de tirar alguns momentos para si. Caminhar pela parte externa do hospital, ouvir uma música e falar com outros familiares pelo telefone são boas opções de distração e irão melhorar a qualidade do tempo que passa ao lado de seu parente ou amigo”, explica.

Lohana destaca, ainda, a possibilidade da interação entre paciente e acompanhante por meio de atividades lúdicas. “Em algumas situações, incentivamos brincadeiras como dominó e dama. Além de contribuir como uma terapia, aproximará os dois e se transformará em um momento mais alegre”Com o objetivo de garantir um momento voltado para o acompanhante, o Grupo de Humanização do Hospital Galileu realiza mensalmente o “Dia do Acompanhante Hospitalar”.

Com palestras e dinâmicas realizadas por uma equipe multiprofissional, composta por enfermeiros, assistente social, terapeuta ocupacional e psicólogos, o momento atua para auxiliar na relação entre acompanhante e paciente, destacando a sua importância durante o processo de recuperação do usuário.

O Hospital Galileu conclui o ano de 2019 com 125 mil atendimentos realizados, entre consultas especializadas, internações, exames, cirurgias e atendimentos multiprofissionais.

Gerenciado pela Pró-Saúde, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (SESPA). O Hospital Galileu foi o primeiro hospital público da capital a conquistar a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). Esta é uma das mais respeitadas entidades avaliadoras dos serviços de saúde do país.

Tags

Hospital Galileu Saúde

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder