Saúde do bebê

Por que algumas mães não conseguem amamentar?

O Hospital Materno-Infantil de Barcarena destaca principais fatores que dificultam ou impedem o aleitamento materno

Mayana Cruz, de 29 anos, é uma das mulheres que apresentam dificuldades na amamentação e que não esconde o medo com o cuidado da sua bebê. “Não tenho tanta produção de leite e ela ainda não pega meu seio. Eu choro com medo de não ser uma boa mãe para ela. Isso me deixa muito insegura e triste”,descreve a mãe da pequena Rebeca.

Moradora de Barcarena, ela acompanha a filha que nasceu prematura de sete meses com apenas 1,4kg,  e que se recupera na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB), unidade localizada a 114 km distante da capital Belém (PA).

Diariamente, mãe e filha recebem o apoio da equipe multiprofissional do HMIB. “Rebeca já recebeu 200ml de leite, por meio do nosso Banco de Leite Humano, para suprir essa necessidade alimentar. E Mayana recebe acompanhamento psicológico e preparo para amamentar”, explica Danielle Souza, nutricionista da unidade.

O Agosto Dourado é o período do ano para a campanha de incentivo e promoção ao aleitamento materno. No entanto, é importante destacar os motivos que impedem ou dificultam a amamentação e que interferem muitas vezes na saúde mental de mulheres.

Principais fatores

De acordo com a médica pediatra, Ana Paula Lessa, as causas que interferem no aleitamento materno podem envolver situações fisiológicas, sociais e emocionais.

“Pode ser uma uma pega incorreta da mama, dores, doença que acomete a mãe ou o recém-nascido, críticas familiares, preocupações, depressão pós-parto, a mãe não estar em condições favoráveis para produzir leite, e até mesmo, por falta de informação, preparo ou orientação”, explica.

A falta de apoio é uma das principais causas do desmame precoce apontadas pela psicóloga Daniella Dias. “Quando as mães não conseguem oferecer a mama aos seus filhos acabam sendo invadidas por sentimentos de culpa, frustração e impotência. Receber julgamentos é o que elas menos precisam”, explica.

Segundo a profissional, há novos desafios da maternidade que a mãe irá enfrentar. Nesse processo, o cansaço, estresse e ansiedade, ou um ambiente não favorável, também influenciam nas dificuldades da mãe, o que faz com que, muitas vezes, desistam de amamentar.

Acolhimento às mães
 
Mantido pelo Governo do Pará e gerenciado pela Pró-Saúde, o Hospital Materno-Infantil de Barcarena presta atendimento 100% gratuito por meio do Sistema único de Saúde (SUS).

A unidade atende gestantes e mães que encontram, no cuidado da equipe multiprofissional, suporte e acolhimento para superar as dificuldades da amamentação por meio de um atendimento humanizado.

“Quando ouvimos entendemos o histórico dessa mulher, os processos emocionais que envolvem a gestação, o parto, e o ambiente familiar. Trabalhamos a culpa, amenizamos as dores e o peso da responsabilidade com apoio e conhecimento, para empoderá-las como mulher e mãe”, afirma a psicóloga.

A unidade, referência para 11 municípios do Baixo Tocantins, conta ainda com um Banco de Leite Humano, com espaço de referência no assunto. Por ser uma unidade de que atua com atendimentos de média e alta complexidades, utiliza ferramentas humanizadas e tecnologia para  auxiliar e incentivar a mãe.

“Fazemos translactação para estimular a resposta de produção de leite da mãe, métodos assistenciais, oficina de ordenha e pega, videoaulas interativas e cursos, mas também, dinâmicas, atividades educacionais, manuais e lazer para a mãe relaxar, estar mais feliz e motivada ao aleitamento materno”, destaca Danielly. 

Tags

Barcarena HMIB Saúde

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder