CASO MAIARA

Jovem que caiu em bueiro após colisão se recupera em casa

Vítima de um acidente de trânsito de grande repercussão na internet, a jovem Maiara Santos da Costa, de 27 anos, que esteve por nove dias internada, no Hospital Regional Público do Leste (HRPL), já se encontra em casa onde se recupera de uma delicada cirurgia na coluna.

O acidente que ocorreu no dia 5 de agosto, em Paragominas, nordeste do Estado, registrado pela câmera de segurança de uma loja, ganhou destaque na imprensa em todo país. As imagens mostram a colisão entre um carro e a moto pilotada por Maiara, que foi arremessada para dentro de bueiro.

Após ser socorrida por populares, que ajudaram a remover a tampa do bueiro, Maiara deu entrada no pronto-atendimento do Hospital Regional com quadro de politraumatismo. Na avaliação médica foram observadas lesões na coluna vertebral e ela foi transferida imediatamente para Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde passou sete dias internada.

Segundo o neurocirurgião, Rodrigo Almeida, embora Maiara tenha chegado ao hospital mantendo as funções neurológicas de movimentação das pernas, por muito pouco, a fratura na coluna não causou a paralisia dos membros inferiores, risco esse que existia também durante o procedimento cirúrgico.

“Ela foi submetida à uma cirurgia na qual é feita uma fixação da coluna, um procedimento complexo, com muitos riscos, mas felizmente, ela não apresentou nenhuma complicação, nem durante e nem após a cirurgia, e teve uma recuperação muito boa já no pós-operatório. No primeiro dia ela já tava se levantando, saindo da cama, fazendo as movimentações”, enfatizou o médico.

Maiara teve sua primeira alta no dia 12 de agosto, saindo da UTI para a enfermaria comum, de pé e caminhando com ajuda dos enfermeiros. Com melhora significativa do quadro, teve alta hospitalar no dia 14, e segue em recuperação em casa.

Passados 17 dias do acidente, ela decidiu falar sobre o que aconteceu. Maiara conta que ainda não teve coragem de assistir o vídeo do acidente e que não tinha noção da repercussão do caso. “Foi uma coisa assustadora até! Teve gente que fez meme, que achou engraçado, então é importante mostrar esse lado bom, né, da minha recuperação, que tá sendo rápida, que tá sendo positiva”, frisa.

Sobre os nove dias que passou internada ela resume. “Meus dias no hospital, no início, foram de medo, medo de não voltar a andar, mas também de muita reflexão”. Conta ainda que, apesar do estado em que se encontrava, deu tempo de fazer novas amizades no hospital.

“Toda vez que eu ouvir e ver a frase enfermagem por amor, certamente vou lembrar da UTI, onde eu fui muito bem cuidada. Todos são muito atenciosos, não só comigo, mas com os outros pacientes que estavam ali, inclusive em situação mais grave que a minha”, descreve. “Eu sou muito agradecida, a Deus primeiramente, e a estes profissionais aqui na terra”, conclui.

Tags

HRPLP Paragominas Saúde trânsito

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder