Gaspar Vianna

Hospital de Clínicas intensifica ações de orientação sobre aleitamento materno

A Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna dedicou o mês de agosto à intensificação das ações de orientação sobre a importância do aleitamento materno. Referência estadual em cardiologia, nefrologia e psiquiatria, o hospital atende gestantes e crianças com diferentes patologias e, neste mês, aderiu ao “Agosto Dourado”, iniciativa mundial que busca promover, proteger e apoiar o aleitamento.

Para ampliar a campanha, profissionais de diferentes especialidades que atuam do Hospital de Clínicas vêm orientando as mães de crianças internadas na instituição sobre os benefícios da amamentação para a saúde do bebê e da mulher e também sobre a importância da doação do leite. 

“Em relação à qualidade e quantidade de nutrientes para o bebê, nada substitui o leite materno. Além disso, é nesse momento que se constrói uma relação de carinho e afeto entre a mãe e bebê que, ao amamentar, experimenta a troca de olhares, a escuta da voz e dos batimentos cardíacos”, explica Tatiana Montalvão, psicóloga do Hospital de Clínicas.

Regina Souza é mãe do pequeno Everson Xavier e, desde os primeiros dias de vida do filho, entende a importância da amamentação e da doação de leite. Natural de Breves, na Ilha do Marajó, no Pará, ela lembra que nem sempre o filho conseguia amamentar direto no seio. 

“Quando ele nasceu há dois anos, logo viemos para cá. Por causa das cirurgias e do período de adaptação, demorou um pouco até ele mamar direto do seio. Mas sempre tem alguém do hospital falando sobre como o leite vai ajudar na recuperação do meu filho e também como eu posso ajudar outras crianças doando o leite”, conta Regina. 

Desde 1990, a Organização Mundial da Saúde orienta o leite materno como único alimento recomendado para bebês até os seis meses de idade. Depois disso, com a inserção de outros alimentos, a amamentação deve ser mantida até a criança completar dois anos. 

No entanto, para crianças como Everson e outras atendidas na instituição, nem sempre é possível garantir a exclusividade do leite materno diretamente do seio da mãe. Por isso, o Hospital adota medidas alternativas para que esse leite possa chegar à criança de alguma forma. 

“Mesmo com todas as dificuldades que as crianças possam apresentar em função de suas comorbidades, incentivamos o consumo e a doação desse leite. Tratamos isso como prioridade, mas respeitamos as condições clínicas e, principalmente, o tempo da mãe e do bebê, garantindo que esse processo seja seguro e prazeroso para os dois” explica Lilian Reça, chefe de enfermagem na UTI Neonatal da Hospital de Clínicas. 

Apesar da intensificação no mês de agosto, Tatiana Montalvão ressalta que as ações de orientação sobre o aleitamento materno são realizadas durante todo no Hospital de Clínicas. “Esse é um compromisso que nós temos enquanto instituição certificada com o selo Amigo da Criança. Por isso, as ações são constantes, assim como a capacitação da equipe”, complementou Tatiana. 

Guia Prático de Amamentação

Ainda no mês de agosto, o Hospital de Clínicas lançou um “Guia Prático de Amamentação” com orientações para as famílias com crianças nesta fase. O Guia traz informações sobre cuidados fundamentais e dicas para minimizar os riscos e entregue para todas as pacientes da clínica obstétrica.
 

Tags

aleitamento materno hospital de clínicas Saúde

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder