COVID-19

Cresce emprego formal em Belém com recuo da pandemia

Pelo segundo mês consecutivo a maioria dos setores econômicos da capital paraense apresentou crescimento na geração de empregos formais. Os dados, divulgados nesta sexta-feira, 28, pela Secretaria Municipal de Economia (Secon) e pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), fazem referência às análises obtidas no mês de julho pelo Ministério da Economia, com as informações do novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Ainda segundo a pesquisa, o setor Construção foi o segmento que mais obteve saldo positivo, com 615 postos de trabalhos; seguido pelo setor Comércio, com saldo de 362 novos postos; Serviços, com saldo positivo de 195 empregos; e Indústria em geral, com a aquisição de 75 novos postos de trabalhos.

Já o balanço efetuado pela Secon e pelo Dieese sobre a geração de empregos formais em Belém nos sete primeiros meses deste ano, de janeiro a julho e 2020, revelou perda de postos de trabalho principalmente nos meses de março, abril e maio. “Coincidentemente os três primeiros meses iniciais da pandemia, quando a capital perdeu cerca de 6.354 postos de trabalho”, explicou o técnico do Dieese no Pará Everson Costa.

“Com a quebra brusca provocada pela pandemia, a economia se comportou em forma de ‘V’, ou seja, estava em crescimento, depois decaiu e agora alavanca novamente. Por isso, já é visível, conforme os dados atuais, a recuperação em todos os setores econômicos na capital”, destacou o secretário municipal de economia, Rosivaldo Batista.


Tags

Emprego e renda secon