AVANÇOS

IDEB aponta crescimento no ensino público do município de Belém

O ensino fundamental da Rede Municipal de Belém avançou em todas as etapas nos últimos anos, segundo dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2019, divulgados nesta terça-feira, 15. Realizado a cada dois anos, o Ideb é o principal indicador da qualidade da educação básica brasileira. A pesquisa apontou que nos anos iniciais do ensino fundamental, das séries do 4º e 5º ano, o município de Belém cumpriu a meta de qualidade nacional estabelecida para 2019, alcançando a média de 5.3, subindo dois décimos da última meta de 5.1, acima da meta projetada para o ano de 2021.

Já nos anos finais 8º e 9º ano, o município subiu um décimo, saindo de 4.3 para 4.4. De acordo com a secretária municipal de educação, Socorro Aquino, o crescimento é reflexo de investimentos na infraestrutura de escolas e de projetos desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Educação (Semec). “Cada aplicação de recursos que se faz nas escolas, na merenda escolar, em projeto e na capacitação dos professores são resultados positivos do trabalho sério da secretaria de educação”, destacou.

Para acompanhar a metodologia de ensino e medir o nível de aprendizagem dos estudantes da rede de ensino municipal, a Semec realiza a Prova Belém desde, 2013 para os alunos do ciclo IV (9º ano), do ensino fundamental, e a Provinha Belém para estudantes de anos iniciais do ensino fundamental do ciclo I (2º e 3º ano) e ciclo II (4º e 5º ano).

Outro objetivo da Prova Belém é preparar os estudantes para a prova do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), do Ministério da Educação (MEC), um dos indicadores importantes para verificar o Ideb, que avalia os conhecimentos das disciplinas de português e matemática dos alunos. Entre os projetos desenvolvidos está o Reforço Escolar, que atua em 35 escolas, junto aos alunos do 9º ano e o Plano de Apoio Pedagógico, desenvolvido pelo Núcleo de Informática Educativa, direcionado à revisão de conteúdos específicos, de letramento e matemática, com os alunos do 5º e 9º ano.

Os investimentos visam proporcionar as melhores condições para que os alunos tenham acesso a uma educação de qualidade. Nos últimos oito anos, muitas escolas passaram por uma completa melhoria estrutural. De 2013 a 2019, foram investidos R$ 77 milhões em reformas e construções, com 26 escolas construídas e inauguradas, 17 ampliadas, 180 reformadas, 49 climatizadas e 22 quadras esportivas construídas. Só em 2020, 10 novas escolas, entre construídas e reformadas foram entregues à população, e cerca de 10 ainda serão inauguradas este semestre. 

De 2013 a 2019, a evasão escolar teve uma queda considerável no município, e nos anos iniciais a desistência de alunos caiu 65%, e nos anos finais foi para 64%. Já no quesito reprovação escolar foi constatado que nos anos iniciais caiu para 51%, e nos anos finais a queda foi de 43%. Cerca de R$ 16,5 milhões foram investidos em mobílias e equipamentos para as escolas para garantir o conforto e a permanência dos alunos na rede de ensino, além de R$2.591.892,49 na compra de uniforme desde 2013.  

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder