Círio 2020

Nossa Senhora de Nazaré é homenageada em exposição no Banco da Amazônia

Dois séculos de devoção sintetizados em quatro visões femininas que se propõem a homenagear a padroeira dos paraenses em exposição comemorativa ao Círio 2020.

            Andrea Fiuza, Telma Grisólia, Conceição Mainiere e Andrea Ferreira assinam a exposição Olhares sobre Nossa Senhora de Nazaré, promovida pelo Banco da Amazônia que abre nesta terça-feira (6) no espaço cultural da instituição. As artistas convidadas prepararam as séries de símbolos e imagens da padroeira a partir de suas experimentações artísticas, e imprimiram texturas, estilos diversos, assim como as cores da devoção popular para criar uma coleção repleta de singularidades, e diferenciada, para homenagear o 228º Círio de Nazaré que este ano assume contornos totalmente diferentes e convida os fiéis a se manterem recolhidos no grande dia, e como todo coração de mãe deseja, em segurança.

            Com a curadoria e expografia do jornalista Afonso Gallindo, que também assina o texto de apresentação, paredes e painéis do espaço cultural ganham

ambientação que dialoga diretamente com os signos tradicionais da maior festa religiosa da região Norte e uma das maiores do mundo, tombada como patrimônio imaterial da humanidade em 2013, pela UNESCO, quando assumiu a verdadeira face de festa cultural pelo imenso e rico conjunto de costumes que se agregaram à manifestação ao longo do tempo, reiterando o papel do povo como construtor da própria identidade. O visitante poderá reconhecer na exposição vários sinais que compõem esse patrimônio salvaguardado: “teremos uma exposição cheia das cores e sensações que fazem parte da celebração à Nossa Senhora de Nazaré todos os anos”, diz o curador.

            A trajetória de cada uma das artistas é baseada nas habilidades, comprometimento com a arte local, e empenho profissional na pesquisa de matérias primas disponíveis, a fim de expressar a fé, o talento e a beleza. Para Andrea Fiuza, que, como as demais artistas, compõe sua obra sobre motivos sacros, participar desta mostra é exercitar a oração: “meu trabalho é um espelho da minha vida neste momento, saindo do isolamento e da angústia, passando por um processo de resignificação, para falar de docilidade e amor, para falar d’Ela, a Nossa Senhora, a nossa mãe”, afirmou.

            Já é tradição do Banco da Amazônia promover uma exposição em homenagem a esta festa, e para Ewerton Alencar, coordenador de Patrocínio, a instituição tem a missão de fomentar o desenvolvimento, que vai além da concessão do crédito. “Apoiamos de forma incondicional a cultura da Amazônia, e o Círio de Nossa Senhora de Nazaré é a expressão maior disso, daí o apoio e a realização de ações que promovam o acesso aos bens culturais regionais. Assim, tomando todos os cuidados devidos por conta da pandemia, o Banco fará as suas já tradicionais homenagens ao Círio, incluindo o lançamento da exposição ‘Olhares para Nossa Senhora de Nazaré’, trazendo os sentimentos e as visões de quatro artistas e artesãs que vivem este momento especial da cultura paraense. Convidamos a todos a prestigiar a exposição”, afirma.

            O Banco da Amazônia abre o espaço cultural cumprindo todas as orientações e os protocolos sanitários de prevenção contra a Covid 19. Além das medidas de segurança durante o lançamento presencial, haverá uma abertura virtual do evento e a própria exposição também ficará disponível à visitação online. No Espaço Cultural, os visitantes receberão álcool em gel na entrada. O uso de máscara é obrigatório e a entrada é franca.

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder