BELÉM 405 ANOS

Prefeitura e Governo do Pará firmam cooperação para assegurar o "Bora Belém"

Dentro da agenda de comemorações pelos 405 anos da capital paraense, celebrados nesta terça-feira (12), a Prefeitura de Belém lançou oficialmente o programa de renda cidadã Bora Belém, firmando cooperação com o Governo do Estado do Pará.

O projeto vai beneficiar, inicialmente mais de 9 mil famílias em situação de extrema pobreza, com previsão de alcançar gradativamente, 20 mil famílias. A assinatura do Termo de Cooperação entre Prefeitura e Governo do Estado foi realizada no Memorial do Povos.

O programa Bora Belém é uma das prioridades da gestão do prefeito Edmilson Rodrigues, que destaca que a cooperação com o Estado permite atender ao público vulnerável o mais rápido possível. O programa será viabilizado através do Banpará. Um cartão simbólico do Bora Belém foi apresentado durante a cerimônia pelo preidente do banco, Braselino Assunção. A solenidade contou também com o presidente da Fundação Papa João XXIII, Alfredo Costa, instituição responsável pelo gerenciamento do programa de renda cidadã, entre outras autoridades municipais e estaduais.

“O Estado entra como parceiro. Para cada real que a prefeitura investir o Governo do Estado investirá um real. Para cada milhão, um milhão. E isso é muito bom porque eu posso atender um número maior de famílias”, explica o prefeito.

Helder Barbalho destaca que a partir do momento em que a prefeitura fez a solicitação para que o Governo do Estado possa ser um parceiro, imediatamente a adminitração estadual sinalizou com o desejo de estar junto, apoiando o programa Bora Belém, para assegurar os recursos necessários. "E cada um real colocado pela prefeitura, o Governo do Estado aportará um real também para que com isto, nós possamos ampliar o número de famílias beneficiadas", garante o governador do Pará. 

A cerimônia de convênio marcou o ato formal que vai permitir que o governador Helder Barbalho transfira para a Prefeitura de Belém os recursos, a partir do cadastramento das famílias. O credenciamento será realizado através do Cadastro Único (CAD), em Belém, gerenciado pela Fundação João Paulo XXIII (Funpapa). As pessoas não estão cadastradas no Cadastro Único, a Funpapa realizará a busca ativa, onde servidores vão até o local das famílias com este perfil de vulnerabilidade.

LEVANTAMENTO 

Em setembro de 2020 foram registradas 9.775 famílias chefiadas por mães, com filhos de 0 a 17 anos, que se enquadram na faixa de extrema pobreza, com a renda per capita em torno de R$ 0 a R$ 89 reais. 

 

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder