TIM

Operadora cria comitê estratégico de ESG no Brasil

Formado por membros do Conselho de Administração, grupo tratará de temas como ética e governança, meio ambiente, diversidade e inclusão social

A TIM Brasil criou um comitê de assessoramento do Conselho de Administração da companhia para assuntos ligados a questões ambientais, sociais e de governança (sigla ESG, em inglês). O comitê é formado por membros do próprio CDA – incluindo o Presidente Nicandro Durante e o CEO da empresa, Pietro Labriola – e terá uma atuação ampla, definindo o plano estratégico, garantindo e incentivando projetos e acompanhando o cumprimento de metas em todos os pilares sob o guarda-chuva ESG.

“A pandemia impulsionou a importância do termo ESG, principalmente no mercado financeiro, mas a TIM já tem uma atuação focada nessas premissas há muito tempo. Temos uma gerência com atuação transversal nesse tema há cerca de dois anos, por exemplo. A criação do comitê é um marco muito significativo e o resultado do amadurecimento de uma área que soube se tornar estratégica e que terá sempre grande relevância na agenda corporativa”, explica o Vice-Presidente de Assuntos Regulatórios e Institucionais da TIM, Mario Girasole.

A TIM confirmou recentemente sua permanência, pelo 13º ano seguido, no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e integra também o S&P/B3 Brasil ESG e o Índice Carbono Eficiente (ICO2), todos da B3. A criação do comitê e a presença de metas de longo prazo para aspectos ambientais, sociais e de governança corporativa no plano trienal da companhia, aliás, foram relevantes para o aumento de quatro pontos percentuais na avaliação da operadora no ISE. Também se destacou o programa de diversidade e inclusão da empresa. A TIM conta com uma gerência específica para esse tema em Recursos Humanos e, em 2020, criou grupos de afinidade com cerca de 500 colaboradores para mapear e colaborar na implementação de ações nas temáticas de gênero, raça, pessoas com deficiência, LGBTI+ e gerações.

“Entendemos que uma gestão alinhada aos princípios ambientais, sociais e de governança é baseada em atitudes proativas, em perceber e alcançar oportunidades, e não somente em iniciativas que visam corrigir possíveis riscos no negócio. O comitê vai garantir essa atuação”, complementa Girasole.

Além da presença em índices ESG da B3, em 2021, a TIM completa 10 anos no Novo Mercado, maior nível de governança corporativa da bolsa de valores brasileira. A operadora foi também a primeira do setor reconhecida pela Controladoria-Geral da União (CGU) com o selo "Pró-ética" e busca alcançar a certificação ISO 37.001, iniciativas que coexistem com o objetivo de promover um ambiente corporativo mais íntegro, ético e transparente.

Tags

Covid-19 TIM

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder