ANIVERSÁRIO DE BELÉM

Exposição de fotos de Fernando Sette está em cartaz no Castanheira Shopping

Depois do enorme sucesso da exposição “Belém, Viva Belém” no ano passado, o Castanheira Shopping promove a segunda edição da grande mostra para comemorar em alto estilo o aniversário da capital paraense. Intitulada “Belém Viva Belém 405 anos: Praças e Monumentos”, a exposição com obras do fotógrafo mineiro-paraense Fernando Sette, foi aberta no dia 12 de janeiro, com programação paralela que envolve palestras virtuais, via redes sociais do shopping, e apresentações musicais para celebrar a cidade. A entrada é franca.

A curadoria é da professora Rosa Arraes, que há mais de 30 anos realiza trabalhos voltados para a valorização do patrimônio histórico de Belém. Ela explica que a escolha por destacar praças e monumentos deve-se ao fato de que Belém tem uma vocação especial que, ao longo dos anos, foi consolidada como a Cidade das Praças. “Talvez porque as praças representam um ideal urbano de melhor qualidade de vida, um espaço democrático de convivência, sendo referências coletivas e lugares de trocas simbólicas da população”, ressalta.

Exposição - A exposição está em cartaz nos quatro pisos do shopping, e o destaque é a cenografia de uma praça contemplando um belo coreto na praça Central do Shopping, onde os músicos convidados farão suas apresentações. Também no primeiro piso, haverá uma sala com projeção audiovisual, onde os visitantes poderão fazer um passeio virtual por diversas praças de Belém.

E quem passar pelos corredores do shopping, vai se deparar com belas imagens de praças de Belém, registradas pelo fotógrafo mineiro-paraense Fernando Sette e com réplicas de alguns dos mais famosos monumentos presentes em logradouros da cidade, como os coretos da praça Batista Campos e da praça da República; do General Gurjão (praça D. Pedro II); Vênus (praça da República); Pedro Teixeira (na Escadinha do Porto);  Monumento ao Jornaleiro (na avenida Romulo Maiorana); entre outros.

Rosa Arraes explica que os coretos tradicionais de Belém, também chamados de pavilhões harmônicos ou pavilhões de música, em estilo art nouveau, são lembranças de um passado em que a música estava muito presente na vida social da população de Belém. Já as esculturas, localizadas nas praças e logradouros da cidade, segundo a curadora, são hoje chamadas de “Arte Urbana” e representam momentos marcantes da história brasileira.

“Observamos tanto o caráter cívico de se homenagear alguns heróis, como general Gurjão e Pedro Teixeira, como também homenagens a marcos importantes da história do Brasil, como a imagem de Marianne, na praça da República, que homenageia a República Brasileira em 1889, e o  “Chafariz da Sereia”, no Largo das Sereias, cuja história está  ligada à política de abastecimento de água da cidade em 1876”, conta.

A exposição “Belém, Viva Belém 405 anos: Praças e monumentos” é uma grande oportunidade para que o público conheça um pouco mais sobre a história e peculiaridades da capital paraense, por meio das esculturas e dos espaços públicos de lazer que tanto contribuem para a interação e qualidade de vida da população, bem como para o embelezamento da cidade.

Serviço: Exposição “Belém Viva Belém 405 anos: Praças e Monumentos”, até o dia 31 de janeiro, no Castanheira Shopping (rodovia BR-316, km 1, s/n). Visitação das 10h às 22h, com entrada gratuita.

Com informações da assessoria de comunicação do shopping Castanheira

 

Tags

jornalismo Jornalistas Paraenses em Ação

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder