COMBATE À COVID-19

Mosqueiro começa a vacinar as pessoas idosas

As pessoas idosas com idade acima de 85 anos moradores do Distrito de Mosqueiro, começaram a ser vacinadas contra a Covid-19, na manhã desta quarta, 3. O Departamento de Ações de Saúde (DEAS/Sesma) destinou cem doses da vacina Oxford/AstraZeneca para atender a comunidade, que terá, até o próximo domingo, 7, para fazer a imunização. Os idosos com capacidade de locomoção estão sendo atendidos nas Unidade Municipal de Saúde (UMS) de Carananduba e do Maracajá. Os que estão acamados precisam fazer um cadastramento prévio para que sejam vacinados em suas residências.

O primeiro dia de campanha foi tranqüilo. O casal Álvaro Simão Ferreira, 95, e Maria dos Santos Silva Ferreira, 91, foi o primeiro a ser vacinado.

SUS - Segundo o diretor do DEAS, Victor Nil, essa vacinação está atendendo pessoas da faixa etária de 85 anos pra cima. Os demais serão vacinados à medida que o Governo Federal aumentar o quantitativo de vacinas para o município de Belém. As pessoas vacinadas nesta primeira etapa da campanha poderão receber a segunda dose num período de até 90 dias, considerando a segurança e a imunogenicidade (produção de anticorpos) da vacina da Oxford/AstraZeneca.

Antes de iniciar a campanha, o diretor do DEAS, Victor Nil, conversou com os idosos e explicou que todos serão vacinados gratuitamente, conforme preconiza o Direito Universal e o Sistema único de Saúde (SUS). “Estamos seguindo o calendário e, avisamos,  a vacina chegará para todos”, enfatizou. As pessoas que são tratadoras ou familiares de pessoas acamadas podem procurar as unidades básicas de saúde e fazer o cadastro e o agendamento. Para este serviço é necessário levar os documentos da pessoa idosa, comprovante de residência e telefones para contato.

Em Mosqueiro, os serviços serão realizados pelos agentes comunitários de saúde (ACS) e nas unidades de saúde do Carananduba e do Maracajá. A campanha seguirá até domingo, dia 7, no horário de 9h às 18h.

Alívio - Para quem já se vacinou a sensação é de alívio. O aposentado José Teixeira, que nasceu em 1934, disse que sempre confiou na ciência e que a vacina seria uma realidade. “Quero me vacinar e continuar aproveitando as coisas boas vida”, almejou.

Para o casal Álvaro e Maria Ferreira, que esteve em isolamento total desde o início da pandemia, a vacina é uma forma de eles retomarem a vida quase normal. “Estamos bem de saúde”, disseram. A receita para tanta longevidade, segundo seu Álvaro e dona Maria, é uma boa alimentação e o amor dos familiares, filhos, netos e um bisneto. O casal está junto há mais de 50 anos. “E, viva a vacina”, festejaram.

Os idosos são o segundo grupo de risco a ser vacinado em Mosqueiro. O primeiro grupo foi formado pelos servidores da saúde e, ainda esta semana, os quilombolas da comunidade de Sucurijuquara deverão ser vacinados.

 

Tags

Coronavírus

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder