Programa Social

Paragominas, Ulianópolis e Mãe do Rio são premiados pelo bom desempenho no cadastro da Tarifa Social

Parceria entre Equatorial Pará e Secretaria de Estado de Assistência Social (SEASTER) premia as cidades que alcançaram o maior número de aderência na Tarifa Social de Energia Elétrica em 2021.

Os municípios de Paragominas, Ulianópolis, Mãe do Rio e Ipixuna nordeste do estado na região, obtiveram a pontuação máxima no indicador que mede o número de cadastros, seguido de Benevides e Parauapebas. A premiação é uma iniciativa da Equatorial Energia Pará com a Secretaria de Estado de Assistência Social (SEASTER). A campanha teve como data base o ano de 2021.

Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) de 49 municípios em todo o Estado estão sendo premiados pelo bom desempenho na quantidade de cadastros realizados na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), benefício que concede até 65% de desconto na conta de energia

O prêmio é destinado às cidades que tiveram crescimento no número de famílias cadastradas na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) e de clientes que realizaram a atualização no cadastro das famílias no programa, que estavam há mais de dois anos sem atualizar os dados do CADúnico. Ao todo foram mais de 89 mil novas famílias cadastradas no Programa nos Centros de Referência. 

Os municípios que atingem o maior número de beneficiários são premiados com equipamentos de uso eletrônico, como notebooks, impressoras, centrais de ar, cadeiras e mesas. Serão entregues aos CRAS 114 itens com o investimento de mais de R$ 200 mil. “O objetivo é otimizar condições operacionais de atendimentos no CRAS, trazer um conforto maior aos cadastradores, bem como melhor recepcionar o cliente”, explica Alexandro Freitas, analista da área de Relacionamento com o Cliente, Equatorial Pará.

NÚMEROS

Em 2021, mais de 89 mil famílias foram incluídas no programa no Estado, devido às parcerias entre a Equatorial Pará e os órgãos que disponibilizam a quantidade de potenciais beneficiários espalhados por todos os municípios do Pará.

Um levantamento realizado pela Equatorial identificou que, em média, os clientes conseguem atingir uma economia de 38% na sua conta de energia. A redução já representa uma grande diferença para mais de 950 mil de pessoas. Este número também representa mais comida na mesa dos paraenses, mais educação e saúde, já que com essa economia na conta as famílias podem investir em outras áreas da economia.

A BUSCA CONTINUA

A Equatorial Pará ainda possui mais de 600 mil clientes em potencial que podem se cadastrar na TSEE, e para alcançá-los vai continuar promovendo mutirões, ações na comunidade, estabelecendo parcerias com os municípios, Centros de Referência e Assistência Social (CRAS), entre outras estratégias para que 100% das famílias que tenham esse perfil sejam impactadas positivamente com este benefício.

COMO SE CADASTRAR

Para se cadastrar, os clientes residenciais podem informar sua conta contrato no CRAS mais próximo e este cadastro será efetivado de forma automática ou ainda deve utilizar os canais que a empresa disponibiliza para o serviço: por meio do atendimento via WhatsApp, no número (91) 3217-8200; por meio do site, o www.equatorialenergia.com.br; ou por meio da central telefônica, no 0800 091 0196 ou, também pode procurar uma das agências de atendimento presencial.

O gerente de Relacionamento com o Cliente, da Equatorial Energia, Guilherme Gilson, destaca que é importante o cliente comparecer ao CRAS, se cadastrar, realizar a atualização periódica dos dados para não perder o benefício. “O levantamento é realizado com base no número de famílias inscritas no CadÚnico, conforme a atualização dos dados dos clientes junto aos CRAS a cada dois anos, e quanto maior o número de famílias cadastradas, melhor para o município também. Todos saem ganhando”, explica.  


REQUISITOS

- Ser inscrito no CadÚnico, com renda familiar de até meio salário mínimo, por pessoa;     
- Ser idoso ou deficiente que recebe o Benefício da Prestação Continuada (BPC) com renda mensal por pessoa, inferior a um quarto do salário mínimo;   
- O beneficiário do NIS precisa estar com o cadastro atualizado nos últimos dois anos;      
- Famílias inscritas no CadÚnico que tenha portador de doença que necessite de aparelhos ligados à energia elétrica de forma continuada, com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos;  
  - Famílias indígenas e quilombolas inscritas no Cadastro Único com renda menor ou igual a meio salário mínimo, por pessoa da família ou que possuam, entre seus moradores, algum beneficiário do BPC.


Tags

Assistência Social Equatorial Pará ESG