Diversidade Cultural

Segunda edição da Feira Quilombola é realizada em Porto Trombetas

A programação contou com a parceria do Pilar Raça e Etnia do Programa de diversidade e inclusão, o “MRN pra Todos”, e apresentou aos visitantes o talento das comunidades quilombolas da região.

A segunda edição da Feira Quilombola, realizada na última semana na praça de Porto Trombetas, Distrito de Oriximiná, foi um grande sucesso, reunindo a comunidade local e promovendo a cultura quilombola com o apoio essencial do Programa "MRN pra Todos", que busca incentivar a pluralidade de pessoas, pensamentos e ideias.

O evento contou com uma programação diversificada que incluiu atrações culturais, exposição de artesanato, desfiles, vendas de comidas típicas e apresentações que encantaram os visitantes. As atividades foram voltadas para as comunidades vizinhas, proporcionando uma mostra vibrante da criatividade e do talento das populações quilombolas, localizadas nas proximidades da empresa.

Um dos visitantes foi o técnico de segurança, William Souza, que expressou sua surpresa positiva em relação à Feira Quilombola, destacando a diversidade de barracas de artesanato e as performances culturais. Ele enfatizou a importância do evento não apenas na questão financeira, mas também na valorização e exibição das riquezas culturais dos quilombos. “O que mais chamou minha atenção foram algumas danças que lembram muito a minha terra, a Bahia. São aquelas danças afros que ‘puxam’ para o axé. Além de arrecadar financeiramente, a feira mostra as belezas que o quilombo tem a oferecer, além de fortalecer a cultura regional”, comentou.

A quilombola e técnica de enfermagem, Aldenizia dos Santos Adão, também participou da programação e ressaltou a relevância da Feira Quilombola para o resgate da história local. “É muito importante a gente chegar aqui e encontrar as coisas da nossa cultura. A feira é importante para resgatar o nosso passado e traduzir para as pessoas como é viver aqui na região”, declarou.

Lenilton Santos de Jesus, analista de relações comunitárias da MRN e organizador do evento, salientou que a programação não só busca visibilidade para combater o racismo e o preconceito, mas também gera renda de maneira criativa para as comunidades quilombolas, fortalecendo valores e tradições locais. “A Feira Quilombola contribuiu para o resgate dos valores das comunidades, reforçando a importância da cultura do povo local e, acima de tudo, dando evidência para as populações próximas. A MRN foi fundamental no apoio desde o espaço que ela deu para a gente falar sobre os sistemas e, principalmente, as garantias para que o evento acontecesse”, destacou.

O gerente-geral de Recursos Humanos da MRN, Leandro Ribeiro, destacou a importância do projeto no contexto da promoção da diversidade e inclusão. Ele enfatizou que a MRN busca ativamente ampliar a diversidade em seu quadro de funcionários, estabelecendo contato direto com as comunidades para divulgar oportunidades e promover programas de desenvolvimento e qualificação. “A MRN, por meio do ‘Programa MRN pra Todos’ tem em sua essência o combate ao racismo. Temos um propósito de desconstruir vieses, fortalecer a cultura de não discriminação e ampliar as oportunidades para todos os públicos que fazem parte da empresa. Para os próximos anos, por exemplo, desenvolveremos novos projetos de capacitação e qualificação técnica com as comunidades quilombolas com objetivo de potencializar as contratações na MRN”, ressaltou.


Tags

Amazônia Artesanato Cultura Eventos Moda MRN Oriximiná Pará Quilombolas