Ações Emergenciais

Governo debate soluções para o tráfego de veículos após queda da ponte do Rio Moju

O Governo do Estado segue trabalhando para buscar maneiras de solucionar a questão do fluxo de cargas e passageiros, na capital e nos municípios atingidos pela queda de parte da ponte do Rio Moju

O Governo do Estado segue trabalhando para buscar maneiras de solucionar a questão do fluxo de cargas e passageiros, na capital e nos municípios atingidos pela queda de parte da ponte do Rio Moju. Neste domingo (14), representantes de vários órgãos envolvidos na ações emergenciais estiveram reunidos na sala de situação do Corpo de Bombeiros, em Belém, para conhecer alguns projetos apresentados como possíveis soluções ao problema de tráfego de veículos.

Entre as saídas apresentadas, está a criação de rampas para embarque e desembarque de balsas, com o objetivo de desafogar o fluxo nos portos responsáveis pelo serviço no momento. Cada plano debatido terá até às 8h desta segunda (15) para ser entregue, juntamente com um relatório final do projeto, na Arcon, como explica o titular da Setran, Pádua Andrade.

"A reunião foi de fundamental importância para definir as nossas próximas ações. Foram apresentados os projetos e ficou decidido que todos vão concluir os trabalhos até este domingo (14), para entregar amanhã (segunda, 15) na Arcon. Depois, serão levados até a Capitania dos Portos, onde vão ser analisados tecnicamente e, em um prazo de 24h, escolhida a melhor opção. Importante que a gente tome essa decisão nos próximos dois dias, para que até o final da próxima semana estejamos operando na solução", afirmou Pádua.

O diretor geral da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon), Eurípedes Reis, enfatiza que o projeto escolhido vai atender critérios, pensando unicamente no interesse da população que foi atingida pelo sinistro.

"Precisamos encontrar uma saída urgente, com foco na população que depende do serviço. Assim que recebermos a edição final dos projetos, vamos levar imediatamente para Capitania dos Portos, para checar se atendem as especificações técnicas que foram solicitadas. Depois disso, recebemos de volta e definimos a melhor opção, dentro de uma avaliação que envolve um estudo completo, analisando o tempo de trajeto, segurança, menor tempo para construção, entre outros fatores", disse o diretor.

O capitão Manoel Pinho, da Marinha do Brasil, que fez várias recomendações durante a apresentação dos projetos, afirma que a análise técnica feita pela Capitania dos Portos vai levar em consideração um fator fundamental na execução. "A Marinha não vai escolher um projeto ou outro, qualquer um que foi proposto vai ser analisado com o fator primordial da segurança da navegação, para que não haja riscos humanos e materiais na realização dos serviços".

Resultado das ações – O trabalho realizado em conjunto pelos diversos órgãos estaduais para minimizar os impactos do incidente em uma das pontes da Alça Viária, já vem apresentando resultados positivos. As grandes filas de caminhões nas avenidas Perimetral e Bernardo Sayão, em Belém, para embarcar nas balsas nos portos da capital, foram zeradas neste final de semana. A presença de transportes de carga em busca de travessia, que já vinha sofrendo reduções progressivas desde quarta (10), foi extinta nos últimos dias.

"O trabalho em conjunto feito aqui na área das saídas e chegadas de balsas foi muito importante para esse resultado. Conseguimos administrar o trânsito de um modo que ele fluísse, evitando o caos nas avenidas. Até terça-feira passada, eram cerca de 270 veículos na fila. A partir de quinta, quando o trabalho integrado já estava estabelecido, diminuiu para 70 veículos. No final de semana, zeramos", explicou o coordenador da operação do Departamento de Trânsito (Detran), Carlos Henrique.

Quem utilizou o serviço de balsas neste domingo (14) se surpreendeu com a fluidez dos veículos no local. "Foi a primeira vez que fiz essa travessia desde que a ponte caiu, mas estava sempre acompanhando pela televisão as filas que estavam ocorrendo aqui. Quando cheguei, vi uma situação diferente, foi tudo muito tranquilo, mesmo com o número de transportes diminuindo no final de semana, não esperava que fosse ter tanta facilidade para chegar em Barcarena", comentou o caminhoneiro Francisco Chagas.

Aumento do serviço – A partir de segunda-feira (15), a população passa a contar com a travessia de balsas Belém/Barcarena, através do Porto de Icoaraci. A medida que vai descongestionar ainda mais o fluxo de veículos nos portos Celte e Henvil, na avenida Bernardo Sayão. Confira os horários das balsas:

Icoaraci/Barcarena: 9h, 11h,13h e 15h

Barcarena/Icoaraci: 7h, 9h, 11h e 13h

Tags

alça viária arcon PONTE RIO MOJU rio moju setran

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.

Relacionadas