Investimento

Governo prioriza expansão dos serviços de saúde bucal

A prioridade do Governo do Pará, por meio da Coordenação Estadual de Saúde Bucal, é ampliar o acesso da população às ações preventivas e educativas, e aos serviços especializados de saúde bucal, além de garantir a qualidade do atendimento aos pacientes, informou a cirurgiã-dentista Alessandra Amaral, coordenadora estadual de Saúde Bucal, da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa).

Segundo ela, é fundamental que sejam organizadas as “linhas do cuidado”, incluindo criança, adolescente, mulher grávida, adulto e idoso, com a criação de fluxos e ações centradas no acolher, informar, atender e encaminhar (referência e contrarreferência), permitindo que o usuário saiba sobre cada lugar da estrutura dos serviços do Estado.

A Coordenação Estadual pretende, ainda, montar estratégias e critérios de avaliação para incentivar os municípios a implementarem ações de saúde bucal. “Além de o governo do Estado doar os kits de higiene bucal com escova, creme e fio dental, fará a entrega de um macromodelo e macroescova para os municípios que mais realizarem e informarem as palestras educativas e preventivas, escovação supervisionada e aplicação tópica de flúor”, explicou Alessandra Amaral.

Preocupada com a baixa cobertura de saúde bucal, que hoje tem um déficit de 44% de Equipe de Saúde Bucal (ESB) em relação à Equipe de Estratégia Saúde da Família (ESF) – com 1.601 equipes de ESF e 893 de Saúde Bucal -, a coordenadora disse que a meta para 2019 é atingir 45% de cobertura de ESB no território paraense.

Estrutura - Sobre a estrutura de saúde bucal, ela informou que o Pará dispõe de 28 Unidades Odontológicas Móveis; 36 Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs), sendo 30 municipais, quatro estaduais (três em Belém - UBS Pedreira, Uremia e URE Presidente Vargas - e uma em Santarém - URE Santarém); dois federais - um na Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Pará (UFPA) e um no Hospital João de Barros Barreto; e 63 Laboratórios Regionais de Prótese Dentária (LRPDs).

Apesar de a Atenção Básica estar sob a responsabilidade dos municípios e caber à Coordenação Estadual de Saúde Bucal monitorar os serviços de saúde bucal junto com os Centros Regionais de Saúde, além de assessorar e monitorar equipes de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família, nas Unidades Odontológicas Móveis, Centros de Especialidades Odontológicas, Laboratórios Regionais de Prótese Dentária, a Sespa incentivará as gestões municipais com doações de consultórios odontológicos para municípios que mais avançarem em políticas públicas voltadas à saúde bucal, e investirá na implantação de CEOs, LRPDs e ESBs.

Balanço positivo - Alessandra Amaral também fez um balanço positivo dos primeiros 100 dias de trabalho no Governo Helder Barbalho. “As ações e serviços realizados nesse período serviram, principalmente, para conhecermos a realidade de saúde bucal no Pará e construirmos uma prática efetivamente resolutiva, com ações preventivas e educativas em diversos municípios”, disse a coordenadora, acrescentando que “integramos e inserimos a saúde bucal em todos os programas, coordenações, eventos e ações”.

Alessandra Amaral já realizou reuniões com os coordenadores municipais de Saúde Bucal para conhecer e debater suas demandas, necessidades e dificuldades. Inclusive, algumas necessidades já foram solucionadas. “Nessas ocasiões também apresentamos novas propostas, mas, principalmente, colocamo-nos à disposição para trabalharmos juntos em prol da população”, informou.

Segundo Alessandra Amaral, será imprescindível a presença constante da Coordenação Estadual em cada município, com a finalidade de maior aproximação, para conhecer as pessoas, suas condições de vida, seus hábitos, particularidades e, assim, poder tomar providências para resolver seus problemas.

Serviços reativados - Ela conheceu todos os serviços odontológicos no âmbito do Estado, espaços físicos, equipamentos, profissionais e a situação de reparos imediatos necessários para o atendimento digno da população. “Reativamos serviços importantíssimos, como o atendimento hospitalar, em nível de bloco cirúrgico de pacientes adultos com necessidades especiais no Hospital Ophir Loyola (HOL) e implantamos esse atendimento para crianças no Hospital de Clínicas Gaspar Vianna”, destacou a coordenadora estadual.

Também foi reativado o atendimento odontológico na Associação Paraense das Pessoas com Deficiência (APPD), disponibilizando três cirurgiões-dentistas e dois atendentes de saúde bucal do Estado.

Outra realização importante foi a implantação do Projeto “Saúde Bucal nos Eventos do Estádio Olímpico Edgar Proença”, com o objetivo de oferecer atendimento de emergência e urgência ao público que frequenta o estádio, durante todos os eventos ali realizados. O serviço conta com um cirurgião-dentista e uma auxiliar de saúde bucal, atuando juntamente com as equipes médica, de enfermagem e técnica.

Parcerias - Firmar parcerias com instituições de ensino superior, hospitais e organizações não governamentais também fazem parte das propostas da nova gestão da Coordenação Estadual de Saúde Bucal. Conforme Alessandra Amaral, a parceria com o HOL e o Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa), por exemplo, visa, principalmente, à realização de ações de cidadania, disponibilizando exames clínicos por residentes de Odontologia, para o diagnóstico de câncer de boca; encaminhamento para o Cesupa quando detectada lesão para realização de biópsia e, caso necessário, todo acompanhamento e tratamento no HOL.

Ainda foi firmada parceria com a Operação Sorriso, uma ONG internacional que já realizou programas em dez estados brasileiros (Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Alagoas, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Pará e Ceará), tendo beneficiado mais de 2.700 crianças, adolescentes e adultos com fissura labiopalatal. “São ações direcionadas às regiões carentes. As cirurgias são totalmente gratuitas, e toda a equipe de profissionais é voluntária”, informou a coordenadora estadual.

Segundo Alessandra Amaral, em Santarém a Operação Sorriso já recebe apoio da Prefeitura local, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, do Hospital e Maternidade Sagrada Família, da Casa da Criança e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Craniomaxilofacial. “A próxima ação, no dia 5 de agosto de 2019, também contará com o apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) e Coordenação Estadual de Saúde Bucal”, concluiu a coordenadora estadual.

Tags

Saúde saúde bucal SESPA

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.