Saúde

Ophir Loyola debate equidade na assistência durante Semana de Enfermagem

Professora da Uepa, a enfemeira Jane Neves, afirmou que a equidade pelo SUS, conforme a reforma sanitária brasileira, traz uma nova ordem social

O hospital Ophir Loyola encerra nesta sexta-feira (17) a programação pela 80ª Semana Brasileira de Enfermagem (SBEn). Este ano, o tema central “Os desafios da enfermagem para uma prática com equidade”, promove uma reflexão sobre o direito universal à saúde e a atuação profissional, que abrange a justiça social e a promoção da igualdade na assistência a grupos sociais heterogêneos, considerando as diferenças de classe, gênero, geração, raça/etnia e cultura, dentre outros aspectos.

As pessoas não são iguais e têm necessidades distintas, é disso que trata a equidade, um dos princípios doutrinários do SUS. É reconhecer de forma imparcial o direito de cada indivíduo à saúde. “A enfermagem enfrenta muitos desafios na sua prática, um deles é prestar assistência com equidade para tratar das diferenças com ênfase na redução das disparidades sociais, conforme as necessidades básicas de cada indivíduo. É operacionalizar com inclusão para que uma pessoa não se se sinta excluída do sistema de saúde”, elucidou Regina Coeli, que preside a Associação Brasileira de Enfermagem - seção Pará.

A enfermeira Jane Neves afirmou que a equidade pelo Sistema Único de Saúde, conforme a reforma sanitária brasileira, traz uma nova ordem social. “Os diferentes precisam ser tratados diferentemente, nós temos os mais diversos grupos populacionais, nem um de nós é igual entre nós. Quando dizemos que cada pessoa, cada família e cada grupo precisa ser tratado diferentemente um do outro, estabelecemos uma relação democratizada e cumprimos com um dever de justiça para com todos”, destacou.

A atuação e complexidade do conhecimento técnico e científico dos profissionais de enfermagem é fundamental na efetividade dos processos de cuidado em saúde. A importância do protagonismo do enfermeiro na construção de políticas públicas no âmbito nacional foi abordada durante a palestra “O Empoderamento da enfermagem para a prática e sua aplicabilidade centrada no paciente”, ministrada pela vereadora e enfermeira Nazaré Lima.  

“Um grande desafio da profissão é reconhecer a necessidade de grupos específicos, respeitar o usuário que é digno de direitos é prestar um atendimento humanizado. Há a necessidade de dar maior visibilidade para os invisíveis, respeitando a diferença para se garantir a igualdade. O empoderamento é garantir que os vulneráveis recebam cuidados diferenciados, é garantir políticas públicas voltadas para ciganos, negros, ribeirinhos e também para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais ”, destacou a vereadora Nazaré Lima.

Enfermagem - O cuidado de enfermagem é integral e sistematizado, o enfermeiro analisa o paciente em sua totalidade, coletando dados e realizando exame físico dos pacientes para a elaboração do diagnóstico de enfermagem. O conhecimento desses profissionais tem sido cada vez mais utilizado para atingir os objetivos almejados pelo hospital e pelo próprio serviço de enfermagem.

O Centro de Suporte de Enfermagem do Ophir Loyola está subordinado à Superintendência do Instituto de Oncologia, possui 138 enfermeiros, além dos 436 técnicos e 138 auxiliares de enfermagem, distribuídos nas 23 clínicas de internação, áreas administrativas e urgência e emergência oncológica.

A SBEn ocorre em todo Brasil no período de 12 a 20 de maio. As datas celebram o Dia do Enfermeiro, em referência a Florence Nightingale, considerada fundadora da enfermagem moderna, nascida em 12 de maio de 1820 e se encerra em 20 de maio - Dia Nacional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem - quando morreu a enfermeira Ana Néri, pioneira na enfermagem brasileira.  No Ophir Loyola, a programação iniciada na quinta-feira (16) e que será encerrada hoje, foi organizada pela residência de enfermagem.

Tags

Hospital Ophir Loyola

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.