Segurança Pública

Região de Carajás fecha 2018 com redução nos índices de criminalidade

O trabalho intensivo das equipes de segurança contribuiu para a redução dos índices de roubo e mortes nos municípios da Região de Carajás

Os indicadores de violência do mês de dezembro de 2018 mostram redução nos índices de roubo e mortes na Região de Carajás, no sudeste do Pará. Até o último dia 25 de dezembro foram registradas 19 mortes na região, 16 a menos que no ano passado, e 367 roubos, quando em 2017 foram 650 no mesmo período - uma redução de quase 50%. Outro bom resultado é a não ocorrência de latrocínio. Os dados foram contabilizados pelo Comando Regional de Policiamento II (CPR2) e pela 10ª Região de Integração de Segurança Pública (Risp), da Polícia Civil, ambos com jurisdição em 16 municípios, incluindo Marabá, Parauapebas e Canaã dos Carajás.

De acordo com o comandante do CPR2, coronel Mauro Sérgio, em relação a 2017 a região registrou em 2018 uma redução de 25% em roubos e quase 50% nos latrocínios – o roubo seguido de morte. Ele destaca que, diante de uma crise econômica, a violência tende a aumentar, mas devido aos investimentos em gestão, transparência e comando os índices diminuíram.

“Em plena crise econômica o que mais cresce é a violência, e nós, no modo de comandar, ficamos na contramão disso. Tivemos uma redução de 25% no roubo, que é o que mais abala a sociedade, porque o cidadão tem a sua segurança e privacidade invadidas, causando traumas muito grandes. E reduzir em um quarto em menos de um ano é um ganho fundamental, e isso se refletiu nessa sensação de segurança”, ressalta o coronel.

Segundo levantamento da Superintendência Regional de Polícia Civil do Sudeste do Pará, só em Marabá a queda de roubos entre janeiro e novembro deste ano, em comparação a 2017, foi de 630 casos. A superintendente da 10ª Risp, delegada Simone Felinto, informa que a nomeação dos concursados foi fundamental, garantindo equipes com delegados e escrivães em todos os municípios.

“Foram intensificadas também as buscas e apreensões, principalmente em relação ao crime de tráfico de drogas. Fizemos diligências em vários municípios, o que consequentemente reduziu os índices de homicídios e crimes patrimoniais que são os roubos e os furtos”, acrescenta.

Recuperação - A delegada ressalta ainda que na região são feitas muitas recuperações de veículos roubados, inclusive com prisão de envolvidos em quadrilhas de roubos a caminhonetes. Simone Felinto afirma que roubos a instituições financeiras têm sido frustrados na região devido ao trabalho intensificado das delegacias dos municípios, em conjunto com a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos.

“Tanto moto quanto caminhonete e outros veículos são recuperados, principalmente pela Polícia Militar, por meio do trabalho ostensivo. Quanto ao roubo de caminhonete, algumas pessoas foram presas, que participavam de associação criminosa na região. Em novembro foi presa uma pessoa que atuava em uma quadrilha de roubo de veículos em Marabá e Redenção. Em relação ao roubo a bancos, alguns casos foram evitados, e em outros houve investigação tanto pela delegacia especializada quanto pelas delegacias dos municípios. É o caso de Curionópolis, Eldorado (do Carajás) e Marabá, onde tivemos casos de roubos a bancos que a própria delegacia chegou à autoria e prisão dos envolvidos”, destaca. 

A vendedora Bruna Santos, que mora e trabalha em Marabá, teve seu veículo recuperado pela polícia. No ano passado, a motocicleta de Bruna foi roubada, e a Polícia Militar conseguiu recuperar este veículo, e também os de outras duas pessoas, na casa do acusado. "Eu fui assaltada no final da tarde, quando chegava em casa. Fiz o boletim de ocorrência, e em cinco dias tive minha moto de volta”, conta.

Conquistas - O comandante Regional de Policiamento II ressaltou avanços para a região, como a criação do Centro Regional de Governo do Sudeste do Pará. Para o coronel Mauro Sérgio, “a vinda do secretário Jorge Bittencourt fez uma diferença total, porque passou a conhecer a realidade e trabalhar a demanda da região”.

Ele destaca também a implantação da Companhia Independente de Missões Especiais em Marabá e a criação da Patrulha Rural, uma demanda do setor produtivo, solicitada em uma reunião realizada pelo Centro Regional de Governo do Sudeste e o Sistema de Segurança Pública do Estado, no primeiro semestre de 2018.

“É um grande ganho nosso a Patrulha Rural. Realmente, o secretário Luiz Fernandes teve uma grande visão. Somos uma região rural, e isso mostra que há realmente uma preocupação com o homem do campo, trazer suas demandas e tentar sanar suas necessidades. A gente tem rotas programadas de visitas na região, avaliação e estratégia de ação”, acrescenta o coronel.

Tags

Centro Regional de Governo Região Carajás Segurança

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.