Pesar

Nota de pesar por líder sindical em Rio Maria

Líder sindical dedicou sua vida à luta pela reforma agrária / Reprodução - DOL
A Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, presidida pelo deputado estadual Carlos Bordalo (PT-PA), expressa indignação ao assassinato do sindicalista Carlos Cabral Pereira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Rio Maria e dirigente da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) no Pará.
 
O crime bárbaro ocorreu nesta terça-feira (11). Cabral, como era conhecido, foi alvejado por quatro tiros e morreu a caminho do hospital. Segundo informações publicadas no site Brasil de Fato, dois homens em uma moto preta teria disparado contra o sindicalista. Esta não foi a primeira vez que Cabral teria sido vitima de tentativa de assassinato. Em 1991 ele foi baleado em uma emboscada. 

Dedicado à luta pela reforma agrária o sindicalista era militante do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), como João Canuto, trabalhador rural brutalmente assassinado com 12 tiros em 18 de dezembro de 1985. Após seis meses da morte de Canuto o seu sucessor na presidência do STR, Expedito Ribeiro de Souza, também foi assassinato. Cabral é o terceiro líder sindical morto em Rio Maria, região sudeste do estado. 

A Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor reafirma seu compromisso de defesa pela vida e luta dos trabalhadores e trabalhadoras do campo em um cenário nacional político de desmonte de políticas públicas e perdas de direitos. Iremos acompanhar e cobrar dos órgãos públicos que este crime brutal seja apurado, os responsáveis sejam devidamente identificados e levados à justiça. Aos familiares de Cabral nossa solidariedade nesse momento de grande perda.

Tags

Carlos Bordalo Deputado Bordalo PT Deputados em ação joão canuto PCdoB Rio Maria Sindicato rural violência no campo

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.