Vistoria

Equipe de governo acompanha trabalhos na ponte sobre o Rio Moju

Governador esteve acompanhado dos secretários de Transportes, Pádua Andrade, e de Desenvolvimento Econômico, Iran Lima, além do diretor geral da Arcon, Eurípedes Reis, e dos deputados estaduais Daniel Santos e Renilce Nicodemos

O governador do Estado, Helder Barbalho, vistoriou, no início da tarde deste sábado (27), a ponte sobre o rio Moju, que teve parte de sua estrutura derrubada no último dia 6 de abril, após ser atingida por uma balsa. O chefe do Executivo estadual conversou com os funcionários da empresa responsável pela retirada dos escombros da ponte e da balsa, e adiantou que esse trabalho deve ser iniciado neste domingo (28) e concluído até a próxima quarta-feira (1°).

Helder esteve acompanhado dos secretários de Estado de Transportes, Pádua Andrade, e de Desenvolvimento Econômico, Iran Lima, além do diretor geral da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon), Eurípedes Reis, e os deputados estaduais Daniel Santos e Renilce Nicodemos.

“Nossa prioridade é fazer a retirada dos escombros. A expectativa é que o pilar central da ponte esteja todo desobstruído até quarta e, com isto, consigamos iniciar as obras de reconstrução da estrutura. Paralelamente a isso, 18 carretas com material, vindas de vários estados devem chegar a Belém a partir de amanhã (domingo), para que as obras de reconstrução, efetivamente, possam começar a partir da próxima semana e nós cumpramos os prazos estabelecidos no contrato”, ressaltou Helder Barbalho.

O secretário de Estado de Transportes, Pádua Andrade, explicou que a empresa responsável pela retirada dos escombros que obstruem o pilar central da ponte estava, neste sábado, realizando os ajustes finais nos equipamentos que farão o içamento do pedaço da ponte que caiu no rio e, também, da balsa responsável pelo sinistro, que ficou com parte de sua estrutura submersa. Oito macacos hidráulicos, com capacidade para suportar até 240 toneladas, serão utilizados. Eles serão levados ao local com o apoio de balsas que já se encontram na margem do rio.

“Ao todo, aproximadamente, vamos levar três meses para retirar totalmente os entulhos, mas isso vai ocorrer em paralelo ao início da reconstrução da ponte. Neste momento, vamos retirar logo os destroços que impedem o nascimento do novo pilar para, depois, seguir com o restante”, pontuou.

Balsas - Pádua Andrade também falou sobre as outras medidas que estão sendo tomadas pelo governo do Estado para criar rotas alternativas de trânsito, como a implantação de novas balsas no próprio rio Moju, para traslado dos veículos de um lado para o outro do rio, mantendo o fluxo na própria Alça Viária. As equipes da Secretaria de Estado de Transportes (Setran) trabalham na abertura de estradas, nas duas margens do rio, por meio das quais os veículos poderão ter acesso às balsas que farão esse trajeto.

“Já estamos na fase final dessas estradas e, na próxima semana, deveremos finalizar a pavimentação asfáltica e fazer uma simulação de travessia de balsas para ver como esse movimento vai se comportar. Já estamos mobilizando duas rampas móveis, flutuantes, que serão utilizadas para os carros terem acesso às balsas”, informou.

O secretário disse, ainda, que a PA-252, que tem servido como rota alternativa e que precisou ser interditada nos últimos dias, por conta das dificuldades causadas pela chuva, deve ser liberada ao trânsito novamente na próxima terça-feira (30).

“As chuvas realmente não nos deram trégua, o que trouxe muitos problemas à PA-252, mas nós estamos lá com equipes permanentes, trabalhando na troca de solo, no reforço de pontes e retirada de atoleiros. Tão logo cessem as chuvas, vamos fazer o trabalho definitivo nessa importante via”, completou.

Travessia - Já o diretor geral da Arcon, Eurípedes Reis, destacou que, enquanto isso, o governo tem trabalhado para melhorar as condições de acesso aos portos, que estão fazendo a travessia de veículos leves e pesados de Belém para Barcarena e procurado aumentar a oferta de balsas nesse trajeto. Hoje, já são nove balsas saindo de portos localizados na avenida Bernardo Sayão e cinco saindo do porto de Icoaraci.

“Logo, nós teremos mais três balsas saindo do porto da Comara, na rodovia Arthur Bernardes, por meio de uma parceria com a Aeronáutica, que serão de grande porte, o que nos ajudará a minimizar ainda mais esses transtornos”, finalizou.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Iran Lima, observou que muitos também têm sido os prejuízos para o setor produtivo do Estado, já que diversos produtos da pauta de exportações, como a soja e a carne bovina, saíam dos municípios das regiões sul e sudeste do Pará por meio da Alça Viária, para os mais variados destinos. “O governo já está conversando com esses produtores para que possamos encontrar alternativas para esse escoamento, pois, de fato, há uma grande preocupação com as nossas exportações”, avaliou.

Tags

arcon helder barbalho sedeme setran

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.